h1

Mistério de Família

26 agosto, 2005

R: Loke the Vile, 314

Tava lá, outra vez aquele cheiro!
Pelo menos uma vez por mês um cheiro de pelo queimado exalava da casa dos Nocturns.
Era tão estranho…
Uma barulheira de panelas e rangidos estranhos e depois aquele silêncio!
Ah sim, mas não sem daquele grito parecendo abafado e agudo de gelar a alma!
E hoje era o dia! Uma lua cheia linda brilhava no céu clareando a redondeza.
E aquele cheiro insuportável empesteando o ar…
Mas hoje não iria deixar passar, tinha que descobrir! Achar uma explicação.
Corri para o quintal, mas só ao chegar lá me lembrei que não conseguiria ver nada por ali…
O muro era deveras alto e a escada estava emprestada com a Sra. Upstars…
A Sra. Upstars é a vizinha da frente, uma senhora de seus 40 anos que como diríamos no popular ficou para titia…
Mas tinha me esquecido do principal! Descrever a Família Nocturns! Como pude?
Esta família aparentemente não tem nada de mais; são quatro pessoas vivendo em uma casa de dois andares, muito parecida com a minha. No bairro dos Amontoados todas as casas são muito parecidas.
Nenhum dos familiares tinha algo de estranho que chamasse a atenção. A não ser, é claro, os dias em que o cheiro pairava no ar…
Nestes dias em particular o Sr. Nocturns sempre chegava mais tarde, a lua bem cheia iluminava a sua entrada na rua má iluminada. O poste de iluminação bem de frente a casa sempre apresentava problema com as lâmpadas que pareciam não durar, e viviam a queimar.
Mas, mais estranho do que a hora em que o Sr. Nocturns chegava, era um volume em um saco de lixo de proporções gigantes que o mesmo carregava, fazendo uma força sobre-humana. O filho, que parecia adivinhar a hora em que o papai chegaria, pois sempre estava na calçada, só esperando o carro parar para abrir o porta-malas e ajudar o pai a carregar o saco, com muita dificuldade. Sem contar que o saco se debatia como se tivesse alguém dentro…
Subi correndo as escadas pulando os degraus de três em três e fui à janela do quarto dos fundos tentando não fazer barulho, só para não acordar vovó. Abri a porta bem devagar e me esgueirei até a janela, que não conseguia tampar a claridade da lua que entrava, deixando claro que vovó tinha sido pega de surpresa e, como vira que não era com ela que queria tratar e fingindo claramente não me ver, continuou a se masturbar tranqüilamente soltando gemidinhos apertados por vez ou outra….
Tentei voltar à concentração para o que me motivara a entrar no quarto. A janela…
Botei o rosto de leve na fenda que se fazia entre as cortinas, de maneira que pudesse tentar olhar para baixo, já tinha testado de manhã, enquanto vovó tomava seu café na cozinha, e daria muito bem para ver o que acontecia no quintal dos Nocturns…
DAVA PRA VER UMA MESA DE METAL E ALGO SE DEBATENDO EM CIMA DELA!!!
Não pude olhar mais! Uma ânsia de vomito me tomou não só pelo que tinha visto, mas também por que vovó chegara ao orgasmo flatulando inconscientemente após relaxar os musculos!
Saí da mesma maneira que entrei, tentando deixar claro que não tinha visto nada, e vovó dormia tranqüilamente um sono de bebê…
Desci as escadas mais rápido do que as subi e não agüentei, tinha a responsabilidade, depois do que tinha visto, de detê-los! Antes que o pior acontecesse outra vez. Tinha que botar um fim nesta história sórdida!
Abri a porta da frente, ao que mamãe gritou de seu quarto: “Aonde você vai anjinho?”.
Respondi que queria só tomar um ar e andei com passos impetuosos até a porta que separava o jardim do corredor que me levaria ao quintal.
Tomei fôlego e, fechando o punho, entrei de supetão porta adentro gritando: “PAREM IMEDIATAMENTE!!!”.

Neste exato momento, ouvi o grito, sim o grito que estava indo tentar impedir que surgisse.
Parei estupefato ao lado o pai, o Sr. Nocturns, que me olhava com uma faca de cabo branca e extremamente pontiaguda na mão esquerda. Tremi de medo, pois esqueci, na pressa, de pegar alguma coisa que pudesse me conferir algum tipo de segurança, mas não diminui meu ímpeto, tentando parecer corajoso e destemido!
Só então reparei que a faca pingava um liquido vermelho, vermelho-sangue…
Ao que o Sr. Nocturns e seu filho, que seguravam um corpo na mesa de metal, se viraram rapidamente na minha direção…
O corpo na mesa parou de se debater. Gelei no mesmo momento. A Sra. Nocturns saía pela porta dos fundos com uma bandeja que continha, para minha surpresa, uma jarra de vidro e copos, na jarra parecia que tinha uma gelada limonada.
Como? Fiquei pasmo com a frieza da cena e todos me olhavam como se simplesmente tivesse vindo para o churrasco da família…
Só então eles abriram caminho, o Sr. Nocturns e seu filho… Para que pudesse ver afinal de quem era o corpo em cima da mesa de metal.
Qual não foi minha surpresa…
DEITADO…
EM CIMA DA MESA DE METAL…
IMOVÉL…
MORTO…

Um porco jazia morto…
Que vergonha!!!!

Comentários:
——————————————————
[Rodrigo]
Obrigado a todos pelos comentários!!! Achei pessoalmente muito legal escrever este aqui!!! E fico feliz de q muitos tenham gostado!!!

05/09/2005 17:28

[Ricky]
Toh passando aqui só pra falar que depois eu vou comentar.. 😀

01/09/2005 11:13

[Isore Halav] [isorehalav@msn.com]
Fala velho…po tá de parabéns cara, muito criativo e cativante até o último momento. []´s G.

31/08/2005 24:22

[Távio] [otavio.teixeira@gmail.com] [http://taviorio.multiply.com]
noooossa… muito boa história… até saber q é um porco custou… só no fim mesmo… abração…

30/08/2005 23:24

[Mineiro]
Gostei mesmo. O erotismo é realmente sua característica, né? Portanto, tem mais de explorar isto em seus contos, tá certo. Ah, só achei algumas palavras rebuscadas que não precisava. Demorei, mas comentei. Aeeeeeeeee.

30/08/2005 22:21

[Andre Ribeiro] [andre.calvin.fotoblog.uol.com.br]
hahaha… A vó soltando flatulências depois do orgasmos foi realmente o que deu a sua cara ao conto!!! huahuahuahua!!! []’s

29/08/2005 19:41

[Fefa]
Gostei bastante! Já estava imaginando um monte de coisas….o porco foi mto bom.

28/08/2005 12:30

[Guto]
Acho que você DÁ para um bom contista, ou um bom escritor.

27/08/2005 02:00

[Sigg]
Sugiro que, da próxima vez, desenvolva o conto em um bom editor de textos. Ah! Reveja o momento em que o protagonista entrou no quarto da avó “… me esgueirando até a janela onde a janela não conseguia tampar a claridade…”, realmente ficou confuso. Fora isso, fucou bacaninha.

26/08/2005 18:13

[Trotta]
Cara… a parte da vovó se masturbando podia ter ficado de fora, hein! 😛

26/08/2005 16:01

[Ma]
Putz……. muito bom, muito bom!!!!!!!! Gostei muito! De onde veio a inspiração? Parabéns!!!!!

26/08/2005 13:11

Anúncios

3 comentários

  1. Olha, venho novamente dizer que o suspense do texto é ótimo e o desfecho é uma surpresa e tanto!
    A parte que eu menos gosto é da velhinha se masturbando, e a parte que mais gosto é dela flatulando ao ter orgasmos!! Rachei o bico!!!
    Foi uma estória muito muito boa!
    Daquelas que “Vale a pena ver de novo”!!


  2. Muito legal essa história. Acho que já a tinha lido, porque ela me é familiar. Você é bom no suspense.


  3. Essa história é excelente! Me diverti novamente lendo.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: