Archive for the ‘Harry Potter’ Category

h1

Filme x Livro: Harry Potter e o Cálice de Fogo

11 setembro, 2007

Pois é Harry Potter e o Cálice de Fogo foi apenas uma leve inspiração baseada na obra de J.K. Rowling, porém, isso não quer dizer que seja um filme ruim, mas é um filme muito diferente da história do livro. Acho que de todos os filmes de Harry Potter já produzidos, esse é, sem dúvida alguma, o que mais apresenta diferenças da obra original.

  • Bartô Crouch Jr. já aparece desde o começo, pois está junto com Rabicho no pesadelo de Harry. No livro ninguém nem sabe que ele está vivo, e sua presença de fato só surge na Copa de Quadribol quando consegue escapar de Winky e conjurar a Marca da Morte (mas isso só iremos descobrir no final do livro). Porém essa foi a saída encontrada para explicar como ele surge na história toda, uma vez que no filme eles eliminaram as figuras dos elfos domésticos.
  • No filme Rabicho apenas abre a porta do quarto e Voldemort mata Franco (o velho que guarda a casa) no corredor mesmo. Porém, no livro, ele é “convidado” a entrar no quarto, e chega inclusive a conversar com Voldemort, dizendo que se ele não voltar pra casa em poucos minutos, sua mulher ligará para a polícia e Voldemort lhe diz que sabe muito bem que ele vive sozinho e que não tem mulher nenhuma a sua espera. E é no quarto que ele mata Franco com a Avada Kedavra.
  • As cenas com os Dursley foram cortadas, o que é uma pena, afinal seria hilário ver os Wealeys destruindo a lareira dos Dursley, Duda comendo o doce casualmente deixado cair pelos gêmeos ou mesmo a ligação desastrada do Ronny pelo telefone para Harry para confirmar a ida do amigo na Copa de Quadribol. No filme, quando Harry acorda do pesadelo onde vê Voldemort matar Franco e planejar sua morte, ele está na Toca, sendo acordado por Hermione – que lhe diz que acabou de chegar. Além disso, ela o apressa, porque estão atrasados para a Copa de Quadribol. Porém, no livro, Hermione está na casa dos Weasley há dias quando Harry chega, à véspera do dia da final da Copa de Quadribol.
  • No filme, Amos Diggory, quando avista os Weasley se aproximando não está com a bota/chave-de-portal na mão e não é nada desagradável com Harry quando é apresentado a ele. Muito pelo contrário, parece muito animado em finalmente conhecer Harry Potter. Já no livro ele faz questão de ressaltar o quanto está satisfeito por seu filho Cedrico Diggory ter conseguido vencer Harry no jogo de Quadribol no ano anterior, e não pára de se gabar que Cedrico voa melhor que Harry, ainda que o filho lhe diga que só ganhou porque Harry caiu da vassoura ao ser atacado por dementadores. Porém, como Cedrico nem é citado no 3º filme, esse diálogo não teria sentido nenhum.
  • No filme, Harry Potter é o único tonto que está olhando todos segurando a chave-de-portal e não encosta nenhum dedo na bota, até que o Sr. Weasley dá um grito pra ele, que encosta na chave segundos antes dela partir. No livro, o Sr. Weasley faz toda uma explicação para Harry e Hermione sobre como funciona uma chave-de-portal antes de todos segurarem a bota.
  • O acampamento de bruxos, próximo à Copa, não tenta em nada se parecer com um acampamento de trouxas. É, sem dúvida alguma, um acampamento bruxo, com tudo que a magia dá direito, e não há nenhum trouxa gerenciando o camping, como no livro. Quando chegam, a barraca deles já está montada, enquanto que no livro, a montagem da barraca é praticamente uma odisséia. E também são duas barracas, uma para os homens e outra menor para as mulheres.
  • No filme, os Weasley, Harry e Hermione estão em lugares bem ruins, no ponto mais alto do estádio. No caminho para seus lugares, encontram com Malfoy e o pai, se gabando que vão ficar no camarote especial, ao lado do Ministro da Magia. Porém, no livro, todos estão no camarote de honra, e, inclusive, os Weasley tem suas cadeiras na primeira fileira, enquanto os Malfoy sentam-se na fileira atrás da deles. E lá, Draco também está acompanhado por sua mãe, Narcisa (que no filme, nem aparece).
  • No filme, Harry está trajado com as vestes da cor da Bulgária, enquanto todos os outros estão com as cores da Irlanda. Porém, tanto Harry quanto todos os outros estão trajados de verde, com as cores da Irlanda, embora admirem muito Vítor Krum, que é o apanhador da Bulgária.
  • Como eles subtrairam o personagem Ludo Bagman, que era o responsável por narrar a final da Copa de Quadribol (bem como as tarefas do Torneio Tribuxo), esse papel acabou sendo assumido por Cornélio Fudge. Ludo no livro cuida de um departamento no ministério de magias dedicado a esportes e foi um grande apanhador em seu tempo.
  • Tudo do jogo foi retirado do filme, desde a entrada dos “mascotes” dos times, a Irlanda com os duendes formando um pote de ouro e distribuindo ouro para as arquibancadas, as Veelas fazendo quase Ronny pular de onde estavam. O jogo em si é uma coisa emocionante que foi totalmente retirado.
  • No livro, os ataques dos Comensais da Morte ao acampamento acontecem no meio da madrugada, depois que todos já estão dormindo, quando são acordados pelo Sr. Weasley que mandam que os meninos corram todos para a floresta e permaneçam juntos enquanto ele, Gui, Carlinhos e Percy vão ajudar o pessoal do Ministério. Porém no filme, estão todos conversando alegremente sobre a partida de quadribol quando os ataques começam. Arthur reúne todos e mandam que corram para a Chave de Portal, sendo que os filhos mais velhos nem sequer aparecem no filme.
  • Pelo que nos diz J.K. Rowling, na correria para a floresta, Fred, Jorge e Gina acabam se separando de Harry, Rony e Hermione, os três continuam a correr e encontram com Draco que parece estar se divertindo com a situação, e depois correm um pouco mais, e percebem que Harry perdeu a sua varinha, e então encontram com Ludo Bagman, que em seguida aparata pra ajudar o pessoal do ministério. Pouco depois os três ouvem um barulho e alguém dizer algo, que eles descobrem que faz conjurar a Marca da Morte. Porém no filme essa passagem é bem diferente: na correria Harry se perde de todos os demais, e nesse momento, o acampamento já está todo destruído (lembrando muito um cenário de guerra), pouco depois alguém acerta Harry, que desmaia. Bartô Crouch Jr. está caminhando por aí, no meio da paisagem desolada, sem se preocupar em ser visto por alguém e conjura a Marca da Morte – momento em que Harry acorda e o vê de relance. Vendo que o menino está olhando, Crouch Jr. caminha em sua direção, com a varinha em riste, pronto pra atacá-lo, e só não o faz porque Rony e Hermione chegam nesse momento e perguntam se Harry está bem.
  • Quando o pessoal do Ministério chega a eles, Harry afirma que viu quem conjurou a Marca, aponta a direção de onde a marca veio e diz que não conseguiu ver direito o rosto de quem conjurou a marca. No livro não é nada assim, uma vez que ninguém viu nada, e no momento em que o trio aponta de onde vem o barulho, encontram Winky com a varinha de Harry, e esta passa a ser responsabilizada por ter conjurado a marca. Porém, como Winky nem existe no filme, eles tiveram que encontrar uma solução para isso.
  • Sei que isso já chega a ser frescura, mas não deixa de ser um erro de continuidade. Harry Potter, ao contrário de seu amigo Rony, nunca trocou de varinha. Ele usa a mesma que comprou com o Sr. Olivaras no início do seu primeiro ano em Hogwarts. Se vocês se lembram, a varinha era uma varinha simples, apenas um pedaço de madeira lisinho. Já nesse filme, não só a dele, como a de todos os bruxos, é super trabalhada, com entalhes etc., eu só queria saber o que aconteceu, porque em nenhum momento me lembro de ele ter levado a varinha a nenhum lugar para que alguém a customizasse…
  • Do nada, já corta pra eles no trem, a caminho de Hogwarts, e do nada, a Senhorita sabe-tudo, mesmo sem Harry ter mencionado nada, afirma que sabe que a cicatriz dele está doendo, e manda que ele escreva pra Sirius pra contar a respeito disso. No livro Sirius sabe da cicatriz de Harry doer desde o primeiro pesadelo, porque foi a primeira coisa que o menino fez quando acordou de seu pesadelo, na rua dos Alfeneiros.
  • Do trem já corta para a carruagem de Beauxbatons (com Hagrid guiando-a, como se fosse aqueles guias de aeroporto) e o navio de Drumstrang, emergindo da água. Porém, no livro a chegada das outras escolas só acontece no Dia das Bruxas, no primeiro dia de aula, eles meramente ficam sabendo que vai acontecer o Torneio Tribruxo.
  • No filme, o diretor optou por transformar Beauxbatons em uma escola só de meninas, e Drumstrang em uma escola só de meninos, mas no livro isso não acontece, por sinal, a primeira pessoa a descer da carruagem de Beauxbatons é um menino, que auxilia a descida de Madame Maxime. E por falar em Madame Maxime, ela é simplesmente horrenda, enquanto no livro é descrita como uma mulher de rosto bonito, de pele morena, grandes olhos negros, cabelos puxados para trás presos em um coque na nuca. E a Madame Maxime do filme pode ser qualquer coisa, menos bonita, além do que, tem cabelo chanel (e não preso na nunca com um coque – nem tem tamanho para tanto) e ainda é mais de um palmo maior que Hagrid – dá pra ver bem na cena do baile.
  • A entrada das escolas no salão é mega performática. As meninas de Beauxbatons entram na escola como se fossem todas bailarinas e veelas, porque todas exercem fascínio sobre os homens – por sinal, como as veelas foram cortadas, e nem mencionadas, ficou estranho essa história da “hipnose” que as meninas da escola exercem nos outros meninos. Elas entram numa espécie de coreografia e liberam borboletas em alguns de seus movimentos, já Fleur entra depois de todas, virando chainé (um passo de ballet), acompanhada da sua irmã Gabrielle (que no livro só aparece na 2ª tarefa), que entra dando uns mortais e fazendo acrobacias, pra só então serem seguidas por Madame Maxime. Em Drumstrang os meninos são uma espécie de malabaristas/capoeiristas, e também fazem sua entrada performática, para depois serem seguidos por Krum e Karkaroff. Por essa entrada, parece que cada escola já tem o seu campeão e o bajula, quando no livro, todos os alunos de ambas as escolas disputarão o título de campeão da escola.
  • Na mesa, ao conversar com Madame Maxime, Dumbledore se refere a Hagrid como Guarda-Caças da escola. No livro ele se refere a ele como Professor de Trato das Criaturas Mágicas, até porque, o de praxe, em qualquer situação, é usar o maior cargo que a pessoa tenha. E no filme, Hagrid que está na mesa, nesse momento, fica todo abobado ao olhar para Madame Maxime e se distrai e dá uma senhora garfada na mão de Flitwick, que ao ver o que aconteceu chama o colega de idiota. Isso jamais aconteceria num livro de J.K., primeiro porque Flitwick é um Professor extremamente pacífico e que se dá bem com todo mundo, e segundo, porque pela ética da profissão, nenhum dos Professores de Hogwarts se ofendem, por mais que se detestem, muito menos se estiverem na mesa de refeição, na frente de todos os alunos da escola. E fora que uma garfada de um meio gigante seria algo bem mais dolorido do que aparenta ser no filme.
  • No filme, Rony é quem dá a todos as informações detalhadas sobre Moody, porém, no livro, quem faz isso é Sirius.
  • No livro, quem dá aos alunos a notícia de que só poderão participar do Torneio Tribruxo os alunos maiores de 17 anos é Dumbledore, e não Crouch, como no filme. Além disso, embora acham alguns muxoxos e reclamações, não há uma ovação negativa por conta disso. E não se menciona nada a respeito da faixa etária que Dumbledore diz que vai traçar, para evitar que menores de 17 anos se inscrevessem.
  • O Moody do filme tem o nariz inteiro. A perna falsa dele também não é como a descrita no livro é de madeira, e em forma de garra.
  • O filme mostra Karkaroff entrando no local onde está o Cálice de Fogo, para deixar no ar uma atitude suspeita da parte dele. Porém, na verdade, a suspeita sobre Karkaroff, só passa a existir porque Moody o acusa, e depois, porque Sirius conta aos meninos que Karkaroff é um ex-Comensal e que poderia, muito bem, estar tramando a morte de Harry num torneio tão arriscado.
  • Na primeira aula de Moody, ao contrário do que é mostrado no filme, não é apenas a intragável sabe-tudo Hermione que sabe as respostas das perguntas, e sim a maioria dos alunos que nasceu bruxo. Desde a primeira pergunta do Professor sobre as Maldições Imperdoáveis, vários alunos se voluntariam para responder. Mas no filme, ressaltando ainda mais o que eu disse, que eles tentam fazer de Hermione muito além da menina inteligente e estudiosa que ela é, e sim uma metida, intragável, que faz questão de mostrar a todo o momento que sabe muito mais que todos os outros que foram criados entre os bruxos desde que nasceram. Além disso, no filme ela está a aula inteira tensa e chorosa, como se estivesse profundamente chocada e horrorizada por um tema daqueles estar sendo abordado em sala de aula. E no livro, o Professor não sai apontando pra qualquer um, pedindo que respondam à pergunta, como faz com Rony no filme. Rony responde a pergunta sobre a Maldição Imperius, mas porque se voluntaria e não porque é ordenado.
  • No livro o Professor usa três aranhas diferentes, uma para cada maldição. Já no filme é apenas uma aranha pra demonstrar todas as maldições. Além disso, na Maldição Imperius, Moody não sai jogando a aranha sobre os outros, como vemos no filme – ele só faz a aranha fazer macaquices. Já depois da primeira maldição muitos alunos resolvem responder à s questões de Moody (lembrando que no livro isso já acontece desde o começo).
  • No filme o elogio feito a Neville, sobre ele ser excelente em Herbologia é feito no meio da aula, antes de Moody perguntar a ele sobre a Maldição Cruciatus, porém, no livro, isso é feito só entre os dois, depois da aula, quando o Professor o chama pra tomar chá, para consolá-lo pelo que ele viu da Maldição Cruciatus. Até porque, não há conexão alguma em elogiar o menino em Herbologia, e de repente perguntar sobre uma Maldição Imperdoável.
  • Na seqüência dessa mesma cena, quando Hermione manda Moody parar de aplicar a Maldição Cruciatus próximo a Neville, no filme ela fala pra parar porque Neville está se sentindo mal; mas no filme ela não diz nada a respeito de Neville, apenas está olhando pra ele, com ar de preocupada. Além disso, ela não começa a chorar coisíssima nenhuma, não é “obrigada” por Moody a responder sobre a terceira maldição, e muito menos, até porque isso não tem a ver com o perfil de Hermione, ela se nega a responder, o que faz com que o próprio Professor responda e mate a aranha na mesa dela. No livro ela levanta a mão, e responde com a voz meio falha, e o Professor mata a aranha em sua própria mesa.
  • No livro, Hermione não sai da sala de aula falando mal de Moody e sim desesperada para ajudar Neville – até porque, falar mal de Professor não condiz muito com Hermione, que só abre uma exceção para a Professora Trelawney. Além disso, no filme Neville meio que aceita de bom grado o convite de Moody para um chá, enquanto que no livro é meio que arrastado pelo Professor.
  • Nossa! No filme há toda uma performance de cada aluno que vai colocar o pergaminho com seu nome dentro do Cálice e depois são aplaudidos exaustivamente pelos outros. Nem Rony cumprimenta Cedrico com cara de bobo, e depois é ignorado pelo menino. Não há nada disso no livro, até porque, a maioria dos alunos coloca seu pedaço de pergaminho longe da vista dos outros.
  • Nessa seqüência das inscrições no Cálice, Hermione consegue protagonizar sua cena mais escrota de todos os filmes. Como ela é a Senhorita Arrogância (e nessa cena ela encarna o personagem com gosto) e que sempre sabe de tudo que acontece em Hogwarts e em todo mundo bruxo – se bobear, até mais que Dumbledore e Fudge – na hora em que os gêmeos aparecem pra colocar seus nomes no Cálice e dizem que vão tomar uma Poção para Envelhecer, é ela quem diz que nada disso vai dar certo – com uma voz extremamente arrogante e debochada – porque o Cálice é circundado por uma linha etária, como se ela fosse a única que soubesse daquilo. E embora, no livro Hermione também diga aos gêmeos que não vai dar certo, ela não debocha deles na frente de todo mundo. E pra arrematar, depois que os dois são expulsos da linha e começam a brigar, ela ainda dá uma olhada pra todos com ar de desdém, como se dissesse: “que bando de idiotas!”, e começa a ler um livro no meio da muvuca, como se tivesse acima de todos aqueles reles mortais. A própria J.K. disse que no primeiro livro criou a batalha dos meninos com o trasgo para salvar Hermione, porque ela era uma personagem tão insuportável, que só algo tão grandioso quanto um trasgo pudesse marcar a mudança de comportamento da garota e selar a amizade entre ela, Harry e Rony. Portanto, é um absurdo os filmes continuarem a retratá-la como a pessoa intragável que ela era lá no início do primeiro livro.
  • Só pra completar a seqüência anterior, no livro, Lino Jordan também está com gêmeos com um pergaminho e poção na mão para se candidatar no Tribruxo, só não pula dentro da linha etária, porque antes que possa fazer os gêmeos são arremessados pra fora com uma imensa barba branca. E os gêmeos não começam a brigar um com o outro como mostra o filme, nem chegam a conseguir botar o pergaminho no Cálice – assim que atravessam a linha etária o feitiço da mesma os expulsa dali quase que imediatamente. E quando as barbas brancas nascem eles começam a gargalhar, no que são acompanhados por todos aqueles que acompanham a cena.
  • A Hermione do livro, chega muito próxima de odiar Krum, porque ele está sempre na biblioteca, o que atrai legiões de fãs idiotas, que segundo a garota, atrapalham suas horas de estudos. Porém, no filme, logo no primeiro olhar que trocam, os dois dão um sorrisinho, que demonstra um mútuo interesse.
  • No momento em que Dumbledore vai retirar o nome dos vencedores do Cálice, no livro, todos são pergaminhos, onde está escrito o nome da escola e o nome do aluno, e ponto final. Já no filme, eles são quase um cartão de visitas, apenas o de Cedrico é um pergaminho comum. O de Fleur é um papel especial, tipo um leque e com lacinhos e tals, e o de Krum é mais escuro etc. – é como se o papel, por si só, identificasse a escola do vencedor.
  • São detalhes, mas… Tanto Harry como seus amigos, estão numa espécie de arquibancada, enquanto Draco, sua patota e os alunos de Drumstrang estão em outra arquibancada no lado oposto do salão, e a turma de Beauxbattons estão numa mesa sozinha. Mas no livro, todos estão sentados nas habituais mesas das casas, a delegação de Beauxbattons divide a mesa com o pessoal da Corvinal, enquanto a de Drumstrang se senta com o pessoal da Sonserina.
  • No filme, na hora em que Dumbledore anuncia que Fleur é a campeã de Beauxbattons, todas à sua mesa aplaudem calorosamente, enquanto no livro, muitos ficam contrafeitos, e uma menina, inclusive, se derrama em prantos por não ter sido a escolhida. Como eu já disse antes, no filme, desde o começo, as delegações das duas escolas se comportam como se já tivessem escolhido seus campeões desde o momento em que chegaram a Hogwarts.
  • No livro, depois de Dumbledore anunciar que Cedrico é o campeão de Hogwarts e da escola explodir em palmas, o barulho é silenciado porque o Cálice “cospe” mais um pergaminho (o que trás o nome de Harry). No filme, depois de pegar o pergaminho com o nome de Cedrico, Dumbledore mostra a todos a Taça Tribruxo, que será entregue ao vencedor do Torneio, e começa um pomposo discurso, para só então se virar novamente para o Cálice e ver que ele está liberando um quarto nome.
  • Benza Deus, desde A Pedra Filosofal sempre li que o Salão Principal tinha apenas cinco mesas: uma dos Professores e outra pra cada casa da escola. Porém, no filme são nove – a dos Professores, duas pra cada casa, além das arquibancadinhas que eu citei antes.
  • No filme Dumbledore está histérico quando lê o nome de Harry Potter pela segunda vez no pergaminho. E essa histeria o acompanha quando ele entra na sala onde estão os quatro campeões para questionar Harry se foi ele que pôs seu nome no Cálice; e há um grupo de bruxos, formado por Madame Maxime, Karkaroff, McGonagall, Snape e Moddy, que vem berrando atrás dele. E o mais absurdo é que Dumbledore chega tão furioso até Harry que o pega pelos braços e o chacoalha violentamente se foi ele quem se inscreveu no Torneio. Na verdade, o livro mostra um Dumbledore preocupadíssimo com o assunto, que, logicamente questiona Harry, mas que não duvida do menino nem em um instante. Quem duvida é Madame Maxime e Karkaroff (apoiados por Snape), até que Moody expõe os fatos e mostra que na verdade Harry é uma vítima, e Bartô Crouch lembra que mesmo que ele quiser não pode desistir daquilo, uma vez que a partir do momento em que seu nome foi colocado no Cálice ele selou um contrato mágico que não é passível de desistência.
  • Ainda sobre o assunto anterior, o filme mostra uma espécie de debate entre McGonagall, Dumbledore, Moody e Snape, se Harry deve ou não participar do Torneio. Essa discussão não existe no livro, até porque, esse ponto já foi esclarecido por Bartô Crouch, como eu já coloquei no tópico anterior.
  • Por falar na sala para onde os campeões vão após seus nomes serem anunciados, no livro, ela é uma sala que tem uma porta de acesso aos fundos do Salão Principal (ao lado da mesa dos Professores), mas no filme é uma espécie de masmorra que funciona como sala de troféus, inclusive mostra Harry descendo as escadas para chegar até lá.
  • No filme não mostra a festa que os alunos da Grifinória fizeram para receber Harry na hora em que ele entra na Sala Comunal. Já corta direto pro quarto, onde Rony diz que não acredita em Harry e os dois brigam.
  • A Rita Skeeter do filme se faz de simpática, tira foto de todos eles antes, e consegue, inclusive arrancar um sorrisinho de Harry. Enquanto no livro, desde o princípio Harry se vê incomodado com a presença da repórter, e as fotos só são feitas depois que Dumbledore “resgata” Harry do armário de vassouras para onde Rita o levou.
  • A partir deste momento no livro Sirius passa a se corresponder mais com Harry e depois descobrimos que ele foi se esconder numa caverna próxima ao vilarejo e passa mais de um mês se alimentando de ratos e roubando jornais para se manter alimentado e informado. Só depois que Harry visita Sirius em sua caverna ele passa a mandar corujas com comida todos os dias para seu padrinho.
  • Só pra constar, no filme, o bloco de anotações e a pena verde de repetição rápida flutuam, e Rita não precisa chupá-la para que esta comece a funcionar.
  • Troféu Joinha – no filme, o corujal é uma torre solitária, fora do castelo de Hogwarts. Vivendo e aprendendo! =D
  • Ah, e por falar em corujal, o que é que o Harry está fazendo lá?! Ele fica de bobo no corujal, quando de repente chega uma carta de Sirius – bizarro… o_O E a troco de que aquele P.S. avisando que a ave bica, para em seguida ele levar uma bicada profunda da coruja. Totalmente desnecessário…
  • E só pra constar, do corujal corta direto pra Sala Comunal onde Harry espera a aparição de Sirius – só que no livro, isso acontece logo depois que Harry volta de seu encontro com Hagrid, que mostra a ele que os dragões serão a primeira tarefa do Torneio. E por falar em Sala Comunal, no filme, enquanto aguarda Sirius, que ele descobre o artigo de Rita Skeeter falando dele (curiosamente, ele só descobre de noite, sendo que o Profeta Diário chega no correio matinal, e esse artigo virou tema único das conversas da escola).
  • O rosto de Sirius, quando aparece, não aparece flutuando em chamas verdes como é descrito no livro, e sim como brasas da lareira. E como cortaram o encontro que Sirius vai ter com Harry, Rony e Hermione na caverna em Hogsmeade, tudo que ele fala nessa conversa se transfere para a aparição dele na lareira. E como mudaram a ordem dos acontecimentos, Harry não pergunta nada a ele sobre os dragões. E só pra constar, esse efeito do rosto de Sirius na brasa é horrendo – master mal-feito, mas…
  • Nunca houve um encontro entre Harry e Neville na beira do lago onde ele conta que ganhou um livro sobre Plantas Aquáticas Escocesas. No livro, essa conversa acontece no quarto dos meninos, quando Harry vê Neville lendo na cama e o menino lhe conta que ganhou o livro de Moody – e ainda que seja um erro de tradução, no livro o título é sobre Plantas Aquáticas Mediterrâneas.
  • No filme Hermione vai até Harry na companhia de Rony e Gina, com um recado doido e todo truncado de Rony para Harry, para que ele procure Hagrid. E além disso, Hermione fica brava com Harry pelo fato de ele e Rony não estarem se falando, mas não se irrita com Rony.
  • Onde é que foram parar as vestes de bruxo?! Eles praticamente só aparecem com roupas de trouxa…
  • A respeito de Hagrid dar a dica a Harry sobre os dragões, além de estar fora de ordem, está diferente. Hagrid e Harry vão para a floresta e só lá que encontram com Madame Maxime, além disso, Harry fica tentando falar com Hagrid pra dizer que vai embora, sendo que no livro ele vai embora sem se despedir, e o amigo nem nota que ele já foi. Além disso, no livro Hagrid não fica contando tudo sobre os dragões para Harry, ele só o leva até o local, e tudo que Harry descobre é por ouvir a conversa entre Carlinhos e Hagrid, e Carlinhos por sinal o repreende por ter levado Madame Maxime, alertando Hagrid que ela poderá contar sobre a tarefa para sua campeã.
  • No livro, Harry decide que vai avisar Cedrico sobre os dragões ao ver o rapaz indo a caminho de uma aula junto com os amigos, mas como não quer falar nada na frente dos outros, ele lança um feitiço que faz a mochila de Cedrico rasgar, fazendo com que ele fique pra trás. Aí se aproxima e lhe conta que a primeira tarefa serão dragões e que outros campeões já sabem. Mas no filme, toda essa cena acontece ao ar livre, e Harry chega a Cedrico no meio dos amigos dele, todos usando broches de “Potter Fede”, que debocham de Harry quando ele se aproxima – a respeito de que Cedrico dá risadinhas debochadas, sendo que no livro, Cedrico deixa claro para Harry que não apóia o uso dos broches e que já pediu para que seus amigos não usem.
  • No livro, Harry não fica batendo boca com Rony na frente dos outros.
  • No terceiro filme Malfoy estava sempre andando com Goyle e um outro menino, magrelo. Agora, no quarto, o magrelo some, e Crabbe reaparece.
  • Essa cena também está fora de seqüência, uma vez que acontece antes da primeira aula de Moody. Mas, quando Moody transforma Draco em doninha, depois que McGonagall obriga a retransformá-lo em menino, ele leva o garoto para a sala do Professor Snape, prometendo dar-lhe uma detenção, mas no filme, depois que Draco volta a sua forma, fica trocando farpas com o Professor e depois foge.
  • Ainda a respeito dessa seqüência, no livro a briga entre Draco e Harry acontece porque Draco xinga a mãe de Rony, e Harry se intromete, zombando da mãe de Malfoy, o que faz com que o menino tente lhe lançar um feitiço pelas costas, momento em que o Professor Moody transforma-o em doninha. Já no filme, tudo começa porque Draco está tirando um barato da cara de Harry dizendo que ele vai morrer em menos de cinco minutos de Torneio. E quem acompanha Moody depois da confusão é Harry e não Malfoy, e é nesse momento em que o Professor lhe dá a “dica” de convocar a vassoura para passar pelo dragão.
  • No filme, enquanto Harry está na sala de Moody ouvindo os conselhos a respeito da 1ª tarefa, o baú do Professor treme e grita. No livro isso também acontece mas Moody está explicando as diversas coisas que estão na sua sala e ao passar pelo baú ele simplesmente fala que ele não acreditaria no que há dentro dele.
  • Ainda a respeito da conversa de Moody com Harry, em nenhum momento o Professor fica tentando envenenar Harry contra os outros candidatos, como faz no filme. O máximo que ele faz no livro é dizer que comentou com Dumbledore que ele pode ser honesto e ter princípios, mas que os outros diretores, certamente, não serão. E não havia motivo algum pra que ele falasse mal de Cedrico, que estava de inocente na história e nem sabia nada a respeito dos dragões até Harry lhe avisar.
  • No filme não existe eles encontrando a cozinha de Hogwarts de onde eles passam a fazer visitas regulares para mandar comida para Sirius, nem a criação do F.A.L.E. (Fundo de Apoio à Libertação dos Elfos) que Hermione é a grande líder, tentando libertar os Elfos Domésticos.
  • No filme, como Harry é o bam-bam-bam ele não fica treinando o Feitiço Convocatório com Hermione.
  • No livro, Fred e Jorge não saem fazendo uma banca de apostas nas arquibancadas – de certa maneira, a adaptação do roteiro transferiu parte do personagem de Ludo Bagman para os meninos, que vão aparecer fazendo banca de apostas nas outras tarefas também.
  • A cabana onde os campeões aguardam o momento de enfrentar os dragões, no filme, parece um hotel, com cama e o escambau. E os campeões das escolas não estão com vestes de bruxo e sim com uma espécie de uniforme de ginástica. É bizarro!
  • No livro não tem nada daquilo de Hermione ficar cochichando escondido, pela lona da tenda, tentando descobrir se é Harry que está ali. Além disso, quando ela percebe que é ele, invade a cabana e se pendura em seu pescoço, no mesmo momento em que Bozo (repórter do Profesta Diário) entra e bate uma foto.
  • Ainda a respeito da seqüência anterior, no livro não existe aquilo de Krum peitar Rita Skeeter por ela ter entrado na cabana e batido a foto de Harry e Hermione.
  • E ainda por falar em Rita Skeeter, no filme nada é mencionado sobre a proibição de Dumbledore a ela entrar no terreno da escola, muito menos de ela ser um animago besouro, até porque, sua entrada é liberada na escola.
  • Dumbledore e Crouch assumem parte do papel e falas que no livro são de Ludo Bagman – distribuindo os dragões dos campeões e narrando as tarefas.
  • No livro, os diretores das escolas não estão presentes na cabana quando os dragões são sorteados. Além disso, pode parecer frescura, mas as miniaturas estão sem número no pescoço no filme, portanto não dá pra entender porque justamente Cedrico é o primeiro a enfrentar o dragão – afinal de contas, ele não foi o primeiro a sortear, não foi o primeiro a ter seu nome saído do Cálice, e na ordem alfabética (que na Inglaterra é feita pelos sobrenomes) Diggory ainda seria depois de Delacour. Desatenções na adaptação que às vezes dão uma cagadinha.
  • Dá até nervoso de ver o quanto o Harry Potter do filme é tonto – os adaptadores inventaram uma Hermione intragável e um Harry débil-mental. No livro, jamais que o menino ia entrar na arena do dragão e tentar sair correndo a pé em direção ao ovo de ouro. Deus do céu! Além disso, mais uma vez pra mostrar como são capazes de fazer efeitos especiais, eles alongaram absurdamente essa tarefa e deturparam totalmente: começa com o demente tentando ir à pé até o ovo, depois disso ele convoca a vassoura e sai voando pelas arquibancadas e por todo o terreno da escola, perseguido pelo dragão (que na verdade não quer, de jeito nenhum, sair de perto de sua ninhada). O dragão ataca Harry, que cai da vassoura e fica dependurado no telhado da escola, enquanto isso o dragão vai trepando no telhado e, conseqüentemente, destruindo-o para se aproximar de Harry – por que será que ele não voa até Harry, que seria mais fácil e eficaz?! Depois que consegue recuperar a vassoura Harry sai voando, e toma uma rajada de fogo que acaba queimando a Firebolt, e o dragão em seu encalço, ainda destrói uma ponte da escola e depois cai num abismo, de onde não volta mais. Agora, me diz pra que tudo isso?! Aí no final eles diminuíram muito a tarefa do labirinto que é a mais interessante, pra ficar se deleitando em efeitos especiais nessa e tornando-a totalmente diferente do livro. No livro, nessa tarefa Harry entra na arena e imediatamente convoca a vassoura, depois sai voando e tenta fazer uma finta no dragão, mas não consegue pegar o ovo e toma uma rajada de fogo, mas escapa. Depois disso ele fica voando em volta da cabeça do dragão, tentando fazer com que ele levante vôo para aí sim capturar o ovo. O dragão resiste um tempo, mas acaba caindo na armadilha e voa, e é aí que Harry repete a finta e consegue o ovo.
  • No filme, não conta como o Harry ganhou esta prova: sendo o único que conseguiu pegar o ovo de ouro sem destruir os outros ovos e em menor tempo.
  • No filme Rony e Harry só fazem as pazes na Sala Comunal, com Rony dizendo que tentou dar a dica dos dragões com aquele recado truncado porque queria fazer as pazes com o amigo. Mas no livro, assim que sai da arena e vai pra cabana, Harry já encontra com Rony e Hermione lhe dando os parabéns e Rony lhe pede mil desculpas, dizendo que foi tonto em achar que o amigo se inscrevera escondido, porque quem fez isso, certamente, estava querendo ver Harry morto.
  • Só pra constar, as gêmeas Patil são idênticas e não estudam na mesma casa: Parvati é da Grifinória e Padma da Corvinal. No filme elas são diferentes e as duas são da Grifinória.
  • No livro, Rita Skeeter escreve sobre Mione gostar de bruxos famosos e que era namorada de Harry, mas preferiu trocá-lo por Krum que é mais famoso, só depois do baile, quando a garota acompanha o campeão de Drumstrang, para se vingar da discussão que as duas tiveram no Três Vassouras (cena que nem existe no filme); porém, na adaptação, a matéria de Rita sai logo depois da 1ª tarefa, por Krum ter peitado Rita para defender Hermione. Sem contar que perde o nexo total a matéria aparecer antes do baile, pois passa a idéia de que Hermione é que corria atrás de Krum, quando é justamente o contrário.
  • No filme, Rony recebe suas vestes a rigor por correio, na frente de toda a escola. Assim como no livro, ele acha que as vestes são de Gina, mas isso acontece no quarto dele, antes de embarcar pra escola, o que, inclusive, gera uma discussão entre Rony e a mãe. E como eu já disse antes, a Hermione, que eles transformaram insuportável, revela-se mais uma vez nessa cena, de horrenda adaptação, pois ela começa a rir na cara do menino e diz que aquilo são vestes a rigor e não um vestido para Gina. Agora, olha só a falta de nexo: se Rony recebe suas vestes pelo Correio, porque o mesmos não acontece com os gêmeos e com o vestido de Gina?! Falta de atenção às vezes derruba a adaptação de uma cena.
  • Quero que fique claro pra quem não leu o livro que não há nada daquela cena tosca da Professora McGonagall dando aula de dança aos alunos da Grifinória (até porque, se fosse assim, cada diretor deveria dar aula aos alunos de sua casa, e imaginem só Flitwick, Snape e Sprout dando aula de dança. Seria bizarro, pra não dizer mais nada…). Nem há todo aquele constrangimento de Rony, muito menos Harry se unindo aos gêmeos para debochar do amigo. E Neville não se prontifica a ser dançarino e nem sai valsando que nem tonto por aí. Tudo isso é apenas tosquice do filme.
  • A cena de Hagrid contando a Madame Maxime que é meio gigante não acontece no corredor no meio da agitação para o baile, e sim no jardim, bem distante dos olhares dos outros. E no filme, ao ouvir a confissão ela fica toda sorridente e satisfeita, enquanto no livro fica profundamente indignada, o que faz com que os dois cortem relações por um bom tempo.
  • Nunca existiu no livro passagem alguma em que Hermione vá ver Krum treinar a beira do lago, e nem demonstrar que tem algum tipo de interesse nele. Apesar de eles verem Krum nadando muito no lago o que os deixa muito curiosos, visto que é inverno (Obviamente eles quiseram passar que ele estava se preparando para a segunda tarefa e meteram os pés pelas mãos).
  • No filme, Fred, Jorge e Angelina Johnson estão na mesma aula de Poções de Harry, Rony e Hermione. Isso porque eles são dois anos mais adiantados… E Angelina Johnson tem dreads no cabelo no livro.
  • Harry não encontra com Cho no corujal (isso por sinal, só vai acontecer no 5° livro). Ele na verdade convida a menina no corredor: chama-a pra conversar, pois ela está junto com as amigas e ele não quer convidá-la na frente das meninas. E aí ela diz que sente muito não poder ir, mas já disse que iria com outro menino, e então Harry pergunta quem, e ela responde que quem a convidou foi Cedrico, e no filme nada disso acontece.
  • Assim como no livro, num surto de histeria, Rony vai até Fleur e a convida pra ir ao baile com ele, e depois que percebe o ridículo do que fez fica catatônico com o próprio ato. Só que não fica claro porque isso acontece para quem não leu o livro, uma vez que nem se menciona as veelas e suas propriedades mágicas, e nem que Fleur é meio veela, uma vez que é neta de uma.
  • No livro Rony não vai ao baile com a veste cheia de babados, porque tenta executar nela um Feitiço de Corte, que fica bem mal-feito, deixando suas vestes com as barras todas esfiapadas.
  • No livro, Harry já sai da Sala Comunal da Grifinória acompanhado de Parvati, enquanto Rony desce com eles para se encontrar com Padma no Saguão de Entrada, mas no filme os dois meninos se encontram com seus pares no saguão.
  • No filme, Harry só descobre que vai abrir o baile com Parvati e os outros campeões do Torneio Tribruxo na hora, enquanto no livro, ele já sabe desde logo depois de ter terminado a tarefa do dragão, porque a Professora McGonagall lhe diz.
  • Mais uma vez alguns dirão que é frescura, mas no livro, Hermione entra do jardim (de onde vêm as delegações das outras duas escolas) de braço dado com Krum, e todo mundo demora muito para reconhecê-la, de tão linda que ela está – e só pra constar, é pouco antes do baile que a garota deixa de ser dentuça, quando Draco lhe lança um feitiço que faz os dentes crescerem, ela vai à Ala Hospitala e Madame Pomfrey executa um feitiço para diminuí-los, e pede que a garota avise quando estiverem do tamanho normal, e ela deixa o feitiço agir um pouco mais para que seus dentes fiquem perfeitos. Além disso, seu vestido é azul. Mas no filme, a garota desce as escadarias da escola (lindíssima por sinal, parecendo uma princesa!), de vestido rosa, e sendo reconhecida imediatamente por todos e agindo como se estivesse maravilhada com toda a situação e bajulação.
  • A Parvati do filme age como se fosse a Miss Universo, entra toda-toda, acenando exaustivamente a todos e sua andada é quase pulada – além de ser feia… Sendo que, como eu já disse no anterior, no livro há uma descrição que diz que Harry e Rony ficaram com as meninas mais bonitas da festa, mas essa menina é bem feinha_ a Parvati do terceiro filme era bem mais bonitinha (pra quem não lembra dela, é uma que na aula de Lupin transforma seu bicho-papão de serpente em um boneco joão-bobo).
  • As Esquisitonas, no filme, são homens…
  • No filme, Hermione demonstra que está totalmente in love por Krum, enquanto no livro não. E em relação ao fato de Hermione ter ido ao baile, Harry faz o comentário sarcástico de que agora entende porque Krum ia tanto à biblioteca – detalhe: não há nenhuma cena dele na biblioteca.
  • No livro, a discussão feia de Rony e Hermione é na Sala Comunal, mas no filme os dois ficam batendo boca nas escadas do Saguão de Entrada. E além disso, será que alguém pode me explicar por que é que ela fica histérica e manda Harry e Rony irem para a cama (e aos berros)?!
  • Ainda sobre o baile, no livro todos só vão embora quando o baile acaba e a banda pára de tocar e as velas se apagam.
  • A Marca Negra que aparece no céu, no braço dos Comensais etc., não é igual à de J.K.; aí vocês vão me perguntar como é que eu sei, e eu vou responder que em seu Site Oficial a Marca sempre está presente quando há algum spoiler, e não tem nada a ver com a que aparece no filme.
  • Como eu já disse dois tópicos acima, todos só vão embora quando o baile acaba, portanto, é claro que não aquela cena em que Harry tem um pesadelo e quando acorda vê Neville entrar no quarto dançando valsa.
  • Troféu Joinha da Adaptação – Hermione falando para Harry que a coisa entre ela e Krum é mais física… Pobre J.K., deve se revirar ao ver esses diálogos tão adulterados.
  • No filme, Cedrico só dá a dica do ovo a Harry dois dias antes da tarefa, mas no livro ele fala com o menino na manhã seguinte ao baile (mas Harry, por estar com ciúmes de Cho, decide que não vai seguir a dica dele – embora, na última hora não tenha muita escolha).
  • A sereia do livro era um quadro, e não um vitral, como aparece no filme – e além disso, no livro ela está dormindo. E, Deus do Céu, a Murta do filme está muito mala. Mas pelo menos é uma cena engraçada.
  • No livro, Harry vai ao salão de banho dos monitores (que Cedrico disse que seria menos movimentado e com mais espaço e passa também a senha de acesso para Harry), mas o faz sob a capa de invisibilidade, e depois do horário, quando está voltando olhando o mapa do maroto ele vê Crunch no castelo, o que o distrai e faz com que fique com a perna presa em um degrau quebrado na escada. O ovo cai e se abre fazendo uma barulheira e atraindo Snape até ali, juntamente com madame Nora e Fith. Snape está prestes a pegar Harry fora da cara quando é surpreendido por Moody que o reprime e salva Harry. Após dispensar Snape com uma ameaça ele ajuda Harry a se libertar e pega o mapa do maroto emprestado.
  • Quem chama Rony e Hermione para irem até a Professora McGonagall são os gêmeos, e não o Professor Moody como vimos no filme. E os dois saem da biblioteca morrendo de medo porque acham que vão tomar bronca por estar ajudando Harry, que deveria estar trabalhando sozinho para vencer as tarefas. Porém, no filme a Srta. Sabe-Tudo peita o professor, alegando que precisa ajudar Harry para a tarefa do dia seguinte, coisa que jamais aconteceria.
  • No livro, quem fala da planta e a dá a Harry é Dobby, mas como eles tiraram os elfos-domésticos desse filme, quem assume o papel de Dobby é Neville, e, conseqüentemente, é ele quem dá a dica do guelricho a Harry. E é óbvio que no livro também não há nenhum tipo de discussão se a planta funciona melhor em água doce ou salgada. Mas essa é a única coisa que preferi do jeito que ficou no filme.
  • No filme Harry aparece todo pimpão, de roupa de banho para fazer a tarefa, comendo o guelricho no deque de largada da prova (o que quase o mata). O Professor Moody lhe dá um empurrão providencial que lhe salva de se “afogar” no ar. Pra não deixar o toque de “sabemos fazer efeitos especiais”, depois de perceber que tem guelras e barbatanas, Harry faz uma acrobacia digna dos golfinhos do Sea World. No livro, como dormiu na biblioteca e foi acordado por Dobby apenas 10 minutos antes da tarefa, ele desce correndo, com suas vestes de bruxo mesmo, logo após receber o guelricho e as instruções de Dobby, leva uma bronca por seu atraso, e só tem tempo de tirar os sapatos antes de entrar na água. Já com os pés na água ele come o guelricho e começa a passar mal, até cair sua ficha de que não está conseguindo respirar porque “criou” guelras e então mergulha e dispara atrás de Ronny.
  • Na ida, Harry é atacado por um grindylow, mas no filme nada acontece a ele. Porém, algo ataca Fleur e uma voz amplificada comunica que a garota está eliminada da prova – mas no livro, embora ela seja eliminada de fato, por não conseguir vencer o grindylow, nenhum dos outros competidores sabe disso até sair do lago.
  • Segundo J.K. Rowling, os reféns estão amarrados à calda de uma enorme estátua de sereia que fica na praça central da cidade dos sereianos, mas no filme eles estão só acorrentados ao fundo do lago, sem mais nada ao redor, a não ser os sereianos que montam aguardar.
  • No livro, logo que vê que os outros reféns são Hermione e Cho, Harry tenta salvar os três, mas os sereianos o impedem. No filme ele fica que nem bobo, esperando Cedrico chegar para tomar algum tipo de providência, e depois, ajuda Krum com a pedra, porque ele não consegue partir a corda com os dentes, e Harry fica com medo de que ele acabe acertando Hermione, e só então resolve ir embora, e carregando Rony e Gabrielle (irmã de Fleur, que seria a refém da garota).
  • E embora não tenha sido atacado na ida, Harry é atacado quando já está trazendo os reféns, coisa que não acontece no livro. Além disso, os reféns conseguem sair da água sem Harry, que fica se afogando e só consegue sair da água por meio de um feitiço. E no livro ele não é atacado, mas tem dificuldade na volta, porque já se passou uma hora e o efeito do guelricho já passou, e ele não consegue mais nadar com tanta destreza, ainda mais carregando dois corpos inertes. Mas, apesar da dificuldade, ele transporta os dois reféns até a superfície, embora esteja exausto.
  • No livro todos os participantes excedem o tempo de uma hora, embora Harry seja o que estoura mais, mas no filme eles agem como se apenas Harry tivesse ultrapassado o tempo.
  • No filme Mione sai correndo pra abraçar Harry e elogia seu comportamento heróico (afinal ela é a Senhorita Perfeição), mas no livro, tanto ela, quanto Rony criticam muito Harry por ter perdido tanto tempo no fundo do lago tentando salvar a vida dos outros reféns.
  • Ao invés de notas por pontos como acontece no livro, no filme eles dão colocações aos participantes, o que é bizarro, porque não haveria maneira de Harry e Cedrico ficarem empatados para entrarem juntos no labirinto.
  • No livro, depois da 1ª tarefa Bartô Crouch já não aparece mais. No baile e nas 2ª e 3ª tarefas quem o representa é Percy Weasley (que no filme nem aparece). Mas no filme ele ainda está presente nessas tarefas.
  • Uma vez que ele já está sumido, é claro que no livro Harry e Crouch não conversam na floresta após a tarefa, nem tampouco há a caminhada de Harry ao lado de Rony, Hermione e Hagrid cantando o Hino de Hogwarts, quando Harry avista o chapéu de Bartô Crouch, para depois avistarem seu corpo. No livro o corpo de Crouch nunca é descoberto, o que acontece é que Harry e Krum estão conversando perto da orla da floresta sobre Hermione, quando Crouch sai cambaleando tresloucado atrás de Dumbledore. Harry pede que Krum cuide de Crouch enquanto vai chamar Dumbledore, mas nesse meio tempo, Krum é estuporado e Crouch desaparece – e só no final descobriremos que ele foi morto pelo filho e enterrado na floresta.
  • Só pra constar, a trama escrita por J.K. Rowling é muitíssimo mais interessante e enigmática que os filmes, que nas adaptações acabam transformando os super mistérios criados por ela em deduções óbvias.
  • O debate na sala de Dumbledore entre ele, Fudge e Moody é sobre a relação entre o desaparecimento de Berta Jorkins e Bartô Crouch, e não sobre cancelar ou não o Torneio após ter acontecido uma morte em Hogwarts, como mostra o filme – mas como Berta Jorkins também foi eliminada da trama…
  • No livro Harry vai fuçar de onde vem a luz de dentro do armário de Dumbledore, e acaba descobrindo a Penseira e então: tchanam. Mas no filme, ele vai parar perto da Penseira por acidente, pois é atacado por balinhas extra-fortes de alcaçuz, que acabam arremessando-o perto da tal “bacia”.
  • O Moody da Penseira ainda não tinha o olho-mágico, porém, o do filme aparece igualzinho ao Moody do presente.
  • No filme, os réus do tribunal (no caso, o réu, pois o único julgamento que vemos é o de Karkaroff) chegam por uma espécie de elevador, mas no livro eles são trazidos por dementadores e presos a uma cadeira com correntes. E como eles fundiram os três julgamentos que existem no livro em um só, eles mostram Karkaroff denunciando Crouch Jr., que está na corte assistindo ao julgamento, e que quando ouve seu nome tenta fugir, mas é preso no ato, sem julgamento, nem nada. E nesse momento, Crouch Jr. se debate, pragueja, xinga o pai etc. Já no livro, vemos o julgamento dele, junto com o de Belatriz e os irmãos Lestrange, que estão todos sendo acusados de torturar o casal Longbotton até a loucura. O Crouch Jr. do filme está desesperado, nega envolvimento com o caso, diz que não fez nada, chora e roga o perdão do pai, que está irredutível e o condena a prisão perpétua. E no filme, passam a impressão de que Crouch está relutante em mandar o filho pra cadeia, e que só o fez porque existiam muitas provas e um caso desses não podia ser deixado de lado, mas no livro ele nem pensa duas vezes e renega o filho, dizendo que não é pai de ninguém. Quem chega perto de desmaiar no livro é a mãe do Jr.
  • No livro, Crouch Jr. não está no sonho de Harry, e a primeira vez que ele vê o rosto dele é na Penseira, por isso é claro que não existe a cena em que Harry fala pra Dumbledore que Crouch Jr. estava em seu sonho com Voldemort, até porque, no livro, todos acreditam que Crouch Jr. está morto, e só quem sabe da verdade é o Crouch pai, Winky e Berta Jorkins.
  • No livro, a discussão entre Snape e Karkaroff a respeito de a Marca Negra estar ficando mais forte acontece no final de uma aula de Poções e não num depósito onde a porta se abre do nada e por acaso Harry os vê.
  • Na 3ª tarefa todos os campeões ganham direito a passar o dia com seus familiares, uma vez que a tarefa será realizada à noite. Mas no filme isso não acontece, e na hora que chegam à orla do labirinto, só Cedrico está acompanhado de seu pai (a mãe nem sequer aparece), os outros três campeões aparecem acompanhados pelos diretores de suas escolas, e até então nada foi mencionado sobre o labirinto, enquanto que no livro, uns meses antes, quando as sebes começam a ser plantadas, Ludo Bagman chama todos os campeões ao campo de quadribol para falar sobre a 3ª tarefa, e diz que será um labirinto repleto de todo tipo de criaturas mágicas, e que eles devem praticar azarações, feitiços de defesa etc.
  • No filme, Dumbledore os alerta de que as pessoas mudam quando entram no labirinto – ou seja, envenena um contra o outro…
  • Logo no começo da tarefa, quando Cedrico e Harry entram no labirinto, no filme mostra Moody dando a dica a Harry de que lado o garoto deve seguir. No livro não há nada disso, além do que, todos entram pela mesma entrada, não há uma pra cada campeão.
  • É muito triste que, por gastarem tanto tempo alongando as outras tarefas mais do que deviam, eles transformaram o labirinto, que no livro é a cena mais legal e mais longa, na cena mais curta e sem graça do filme. O labirinto do filme não tem nenhum tipo de criatura mágica, nada de explosivins, bichos-papões, acromântulas (aranhas gigantes), esfinges, névoa mágica etc. Há apenas sebes que se movem, se estreitam, se alargam e que “engolem” os participantes; e, além de Krum agindo pela Maldição Imperius, não há nada interessante – sem contar que fica óbvio que o objetivo dele era tirar Cedrico do caminho, porque ele se depara com Harry, e quando vê que é o garoto abaixa a varinha e só ataca quando Cedrico se aproxima. No livro Harry ouve o grito de Fleur, mas por ter ficado detido por uma névoa, não consegue chegar até ela, mas no filme ele vê a sebe engolindo a garota.
  • Sem falar que no livro Moody estupora Fleur e lança a Imperius em Krum de dentro do labirinto, porque é um dos responsáveis pela guarda, junto com McGonagall, Hagrid e Snape, e para garantir que Harry chegue primeiro ao troféu, vai limpando o caminho a frente de Harry.
  • Ah, e quanto a Krum, no livro Harry não encontra com ele dentro do labirinto, exceto na hora em que ele ouve que Krum está lançando a Maldição Cruciatus em Cedrico e vai até ele para enfrentá-lo. E no livro, quem o derrota é Harry, mas no filme quem faz isso é Cedrico. E depois de se livrarem de Krum os dois se ajudam, não saem se empurrando que nem loucos, como mostra no filme.
  • De acordo com o filme, Harry teria sido o campeão se não tivesse parado pra ajudar Cedrico, enquanto no livro é justamente o contrário, uma vez que Harry foi atacado pela acromântula e está com a perna ferida mal agüentando erguer o corpo, e só consegue chegar até a taça porque Cedrico o carrega.
  • No filme, assim que a chave de portal os leva para o cemitério, Harry percebe que já esteve ali no sonho, e não sugere que eles toquem a taça imediatamente para tentarem voltar a Hogwarts. No livro, tanto ele, quanto Cedrico só percebem que estão em um cemitério.
  • Harry é amarrado à lápide de Tom Riddle e não preso pelos braços da estátua como aparece no filme (nessa cena e nas próximas chega até a dar aflição, tamanha é a falta de talento de Daniel Radcliffe).
  • O Rabicho do filme é firme, decidido e maligno (suas feições e expressões mostram isso desde a primeira cena desse filme, e principalmente nessa seqüência). Já no livro ele é covarde, medroso, soluçante e demonstra estar com asco das tarefas que está executando. Fato importante: não é Rabicho que mata Cedrico.
  • A “reencarnação” de Voldemort acontece todinha dentro do caldeirão, tanto que Harry mentaliza que tomara que ele se afogue, até o momento em que ele se ergue e pede suas vestes pra Rabicho. Já no filme, o caldeirão desaparece, e a “reencarnação” acontece no ar, num estilo meio Alien.
  • No filme, os Comensais não aparatam, mas vão saindo da língua da cobra da Marca Negra conjurada no céu. Bizarro!
  • No livro Voldemort vai de Comensal em Comensal cobrando atitudes que eles não tiveram nos últimos 13 anos, e os ofende ou tortura, mas no filme isso acontece bem sutilmente.
  • Como não existiu a acromântula do labirinto, Harry não está com a perna machucada no momento em que é obrigado a duelar com Voldemort.
  • O diálogo entre Voldemort e Harry tem muito mais tom de deboche no livro do que é mostrado no filme, ele fica falando mansinho, tratando Harry como se fosse um bebezinho, o que leva os Comensais às gargalhadas.
  • Como a personagem de Berta Jorkins não aparece no filme, obviamente que o eco do feitiço de sua morte não aparece na redoma do Priori Incantatem. Além disso, no livro cada eco que sai vai até Harry e lhe fala palavras de consolo e suporte, mas no filme, apenas os pais de Harry falam com ele, e depois Cedrico, que pede que ele leve seu cadáver de volta para Hogwarts, para seus pais.
  • Em sua fuga, no livro, Harry está bem longe da taça e de Cedrico, e por conta disso, corre debaixo de uma chuva de feitiços lançados pelos Comensais, para os quais ele dispara algumas Azarações de Impedimento, mas sem olhar pra trás pra ver se está acertando ou não. Até que chega ao cadáver de Cedrico, e perceber que o corpo é muito pesado para que ele carregue, com a sua perna machucada até a taça, então lança um feitiço convocatório na taça e desaparece. Mas no filme, em poucos instantes ele já está ao lado de Cedrico convocando a taça, sem ninguém tentar lhe lançar nenhum feiticinho.
  • No filme, quando Harry retorna a Hogwarts, do lado de fora do labirinto, abraçado a Cedrico, a multidão explode em palmas e vivas e demora horrores pra perceber que Cedrico está morto – só pra constar, mais uma vez, NINGUÉM MERECE DANIEL RADCLIFFE CHORANDO!!!
  • E ainda por cima tem algum juca que vê que Cedrico morreu e começa a berrar: “Ele está morto!”, para espalhar o pânico na multidão.
  • No livro, Amos Diggory só chega até o corpo do filho depois que Moody já levou Harry dali, mas a cena do filme acaba sendo mais tocante do que a descrita por J.K. Rowling, uma vez que, nesse momento, a autora está preocupada em manter o suspense sobre quem seria a mão que está arrastando Harry pra longe do estádio.
  • No filme, o falso Moody percebe que o efeito da Poção Polissuco está passando e vai atrás de mais uma dose, que acaba não achando. Já no livro, ele, na euforia da situação, simplesmente, se esquece de tomar a dose da poção. Tanto que depois de um bom tempo, já estuporado, Harry e Dumbledore ficam aguardando ele se transformar, porque Dumbledore tem certeza que ele se esqueceu de tomar a dose de hora em hora. O tique da língua pra fora é uma característica de Crouch Jr. e quando ele começa a fazer isso, quer dizer que o efeito da poção está começando a passar, assim como foi a cicatriz de Harry, quando ele estava se passando por Crabbe, n’A Câmara Secreta.
  • Nos momentos em que está sozinho com Harry, no livro, Moody conta toda a verdade ao garoto, mas Harry se nega a acreditar. No filme ele só começa a falar, e o super-sabido Harry Potter deduz todo o resto – como se fosse possível, sendo o Harry do filme um imbecil da maior marca.
  • No livro Dumbledore estupora Moody, mas no filme ele apenas o desarma com o Expelliarmus, e o Veritasserum não é dado imediatamente, porque não está com eles. Snape sai para buscar a poção, enquanto McGonagall busca Winky na cozinha, e só na volta dos dois que o Veritasserum é dado, diante da elfo, que está chocada ao ver o filho do seu amo, e fica ainda mais espantada ao vê-lo confessar toda a verdade e contar que matou e enterrou o próprio pai. Mas no filme tudo acontece na mesma seqüência, até porque a elfo foi suprimida da trama.
  • O malão de Moody no livro é aberto com suas chaves, e Dumbledore abre compartimento por compartimento, até chegar ao último e encontrar o verdadeiro Moody desacordado, muito doente e agindo sob a Maldição Imperius. Porém, no filme, o malão é aberto com um feitiço, que logo mostra o verdadeiro professor no fundo da mala, e o professor, pelo jeito está muito bem, pois até conversa com Dumbledore.
  • Depois de retornar sua forma original, como está sob o efeito do Veritasserum, Crouch Jr. vai derramando toda a verdade de acordo com cada pergunta que lhe é feita. Mas no filme, depois de voltar para seu corpo, Crouch Jr. fica desafiando Dumbledore.
  • Um imenso pecado do filme: não mostra o que foi feito de Crouch Jr., e isso é fundamental para o desfecho do 5° filme/livro, uma vez que, Fudge desesperado por descobrir que fora enganado durante meses por um Comensal da Morte, pede que um dementador o acompanhe à presença de Crouch Jr. e manda que lhe dê o beijo da morte, antes mesmo de tomar seu depoimento. E com isso se vai toda a prova de que o que Harry está dizendo a respeito de Voldemort é verdade. E é o fato de não ter provas e de não querer acreditar que Voldemort voltou que faz Fudge romper com Dumbledore e iniciar toda aquela perseguição ao diretor, a Harry e a Hogwarts.
  • No filme, Sirius não aparece na escola para saber como está Harry depois que este retornou do cemitério, mas no livro, ele aparece imediatamente como cachorro e permanece ao lado de Harry o tempo todo. Não mostra Dumbledore insistindo que Snape a Sirius superem a animosidade do passado, para lutarem juntos pela mesma causa. E nem mostra o diretor delegando ordens a todos para que corram rapidamente atrás daqueles que fizeram parte da Ordem da Fênix no passado, e para recrutar novos membros.
  • Faltou também a explicação de Dumbledore sobre o que é Priori Incantatem. Quem não leu o livro fica boiando nesse sentido. Que é o efeito causado por duas varinhas irmãs (a varinha de Harry e Tom são feitas de penas da mesma Fênix, a Fawkes).
  • No filme temos uma Hermione chata e chorona no discurso final de Dumbledore. Muito tosco isso, porque, por mais que todos estejam tristes com a morte de Cedrico, os arrasados de fato são Harry e Cho.
  • E logo depois de protagonizar essa cena depressiva, ela e os outros já estão fazendo parte de uma despedida animadíssima no pátio externo do castelo, nem parece que a escola acabou de perder um aluno. E é óbvio que nada disso acontece no livro.
  • Depois de ver Cedrico morrer e Voldemort retornar, não tem o menor sentido o sorriso arreganhado dado por Harry na despedida. Ainda por cima, Harry, Rony e Hermione estão todos piadistas, gargalhando, pra do nada, a Senhorita Perfeita concluir que dali em diante as coisas serão bem diferentes. Não há absolutamente nada disso no livro. Além disso, no livro Harry está arrasado, desgostoso da vida, mas no filme ele meio que consola Hermione.
  • Ah, e além disso, no filme os três se despedem na escola, prometem se escrever no verão etc., isso como se eles ainda não fossem passar o dia todo juntos na viagem de volta no trem. Um PS importante e que seria deveras engraçado, seria a Hermione tirando da bolsa uma Rita-besouro presa dentro de um pote magicamente vedado e protegido para ela não conseguir sair.
  • E o filme termina e nada foi mencionado a respeito da fuga de Karkaroff e que Krum com os outros voltaram sozinho.
Anúncios
h1

Análise Livro X Filme (Harry Potter e a Ordem da Fênix)

27 agosto, 2007

Harry Potter e a Ordem da Fênix sem dúvida alguma é uma boa adaptação, embora tenha uma boa quantidade de alterações, quase todas elas foram feitas para ser fiel à idéia de J.K. Rowling e deixar claro para aqueles que não leram o livro como as coisas se desenrolaram na vida de Harry nesse ano, ou no máximo não, visto que varias coisas são impossíveis de se entender sem a leitura dos livros.

Comecemos:

  • No filme, a primeira cena de Harry no parque acontece de tarde, porém, no livro, é de noite, depois do telejornal noturno.
  • Quando Harry encontra com Duda, na verdade, é ele que chama o primo. E, ao contrário do que mostra no filme, Duda não está com a turma, quando se encontram, e sim sozinho. Até porque, sabendo do pavor que os Dursley têm de magia, e os problemas que isso poderia lhe causar, Harry jamais puxaria a varinha para o primo na frente dos amigos dele.
  • Quando os dementadores atacam os dois, no livro eles estão num beco, por sinal, o mesmo em que Sirius aparece como Sinistro pra Harry no terceiro livro, e não em um túnel, como vemos no filme.
  • Ainda em relação a esse ataque: em que eles transformaram o patrono de Harry?! Cadê o Patrono Corpóreo em forma de veado?!
  • A Sra. Figg do filme não tem cara de velha gagá, e sim de velhinha comum, além disso, ela está extremamente calma para quem acabou de presenciar um ataque de dementadores em Little Whinging. A do livro, nessa passagem está histérica, e seguramente, seria capaz de esganar Mundungo se este aparecesse em sua frente naquele momento.
  • No livro, Harry não recebe um berrador do Ministério para lhe informar que foi expulso de Hogwarts por ter usado, pela 2ª vez, magia na frente de trouxas. Além disso, no filme essa é a única carta que aparece, quando na verdade no livro são várias. Ele recebe, depois dessa, uma carta do Sr. Weasley dizendo para não sair da casa dos tios, outra carta do Ministério revogando a expulsão, mas dizendo que isso será julgado em uma audiência, e uma carta de Sirius reforçando que Harry não deve deixar a casa dos tios de maneira nenhuma. E até tia Petúnia recebe uma carta (na verdade, um berrador) de Dumbledore, que a faz impedir que tio Valter mande Harry embora de casa. Porém, toda essa parte no filme foi reduzida a um único berrador.
  • O cabelo de Harry mais uma vez está curto, com pinta de metrossexual. Mas como assim?! Se ele mesmo diz que tem um cabelo que nunca acenta e nem para de crescer… E ainda mais nesse livro, que pouco antes da audiência no Ministério, a Sra. Weasley taca muita água no cabelo dele, pra ver se abaixa um pouco, para causar melhor impressão.
  • No filme, quando a Guarda da Ordem aparece pra buscar Harry na casa dos Dursley, além de serem menos membros que participam desse “resgate”, Moody não desilude (camuflar como um camaleão) Harry para poderem voar da Rua dos Alfeneiros até o Largo Grimmauld. E como o vôo passa por alguns cartões postais de Londres, que parece estar a todo o movimento, apesar de ser noite, isso implica que eles certamente tenham sido vistos por alguém. Ou seja, esse comportamento não condiz com um auror que está tentando proteger alguém e passar despercebido, ainda mais esse auror sendo o neurótico Alastor Moody. Parece que eles não se importam com o fato de talvez serem vistos pelos trouxas.E a falta de Lupin na guarda é um tanto grave, afinal Harry não têm certeza se confia em Alastor, visto que passou quase um ano ao lado de um impostor no livro 4. Só a presença de Lupin o tranqüiliza.
  • A maneira encontrada pelo diretor para fazer surgir a casa número 12 do Largo Grimmauld, com a cajadada de Moody na calçada foi bem legal de ver e deve ter dado um bom trabalho para a equipe de efeitos especiais e computação gráfica, mas joga por terra toda a teoria do Feitiço Fidelius dado por J.K. Rowling no 3° livro e reforçado nesse. No livro, Harry só consegue ver a casa, porque recebe um pedaço de pergaminho das mãos de Moody, escrito com a letra de Dumbledore, onde está o endereço da sede da Ordem da Fênix. E isso porque Dumbledore é o Fiel do Segredo do endereço da Ordem, portanto, a localização exata só pode ser dada por ele, e por mais ninguém. Mas se a cajadada de Moody mostra a casa, significa que não há um Feitiço Fidelius, e, por conta disso, qualquer um poderia muito bem ver a casa. Não sei porquê, mas na minha cabeça, sempre que eu li essa passagem, imaginava a casa inchando, como se fosse uma bexiga que estava sendo soprada, e, assim, empurrando as outras casas para os lados. Ah, e só pra constar, a rua onde está a casa é uma rua comum, mas no livro, ela fica num Largo, como o próprio endereço diz, e também é descrita uma pequena praça que fica em frente a casa…
  • Harry chega na sede da Ordem calmíssimo, enquanto no livro ele está furioso com tudo e com todos, que o fizeram ficar até aquele momento sem nenhuma notí­cia concreta.
  • Os cortes nos textos e mudanças de diálogos reforçam a minha tese de que o pessoal da adaptação e do roteiro fazem uma força imensa para, a cada filme que passa, fazer com que Hermione seja mais e mais insuportável. Sorte da Emma Watson que ela é linda, pra compensar toda a antipatia que derramaram sobre sua personagem.
  • A maneira como Molly briga com os gêmeos dá a entender que a desaparatação fosse feita por um movimento de varinha. O que é uma inconsistência de acordo com o que vemos no livro. Eles estão empolgados porque passaram no teste de aparatação e não porque completaram 17 anos e podem fazer magia fora de Hogwarts.
  • No livro, quem decide que Harry deve saber tudo que está acontecendo é Sirius, até porque é o padrinho do garoto. Mas no filme, essa decisão cabe a Moody.
  • Pra começar, no livro, as Orelhas Extensí­veis não funcionam na porta da cozinha, porque ela foi “imperturbada”, portanto, os garotos jamais poderiam ouvir nada do que é tratado ali. E os membros da Ordem não ficam fazendo suposições sobre Harry ali. Uma vez que as orelhas não funcionam, é Obvio que não há a cena em que Bichento ataca as orelhas e atrapalha toda a investigação.

(Não foi falado nada no filme sobre a limpeza que ocorre na casa para tentar fazê-la habitável novamente)

  • A rua onde fica a cabine que dá acesso ao Ministério pelo mundo dos trouxas, no livro, é suja e deserta, com várias caçambas de lixo transbordando por perto. Mas no filme ela é limpíssima e próxima a muvuca rotineira de Londres.
  • A estátua dos Irmãos Mágicos que fica no Átrio do Ministério é uma só. Mas no filme são duas, uma onde o bruxo está sozinho e que fica mais ao fundo, e outra onde estão a bruxa, o duende, o centauro e o elfo-doméstico.
  • No filme, logo que entram no elevador Quim Shackebolt conta a Arthur que a audiência de Harry mudou de horário e que eles já estão cinco minutos atrasados, mas ainda assim, permanecem com uma atitude calma. No livro, eles chegam ao Ministério calmamente, existe um segurança que avalia a varinha de Harry e depois Harry e o Sr.Weasley tomam o elevador para irem até a sala dele, no caminho param no Salão de Aurores para falarem rapidamente com Quim, que os trata formalmente, para não levantar suspeitas a respeito da Ordem, e só quando chegam ao escritório do Sr.Weasley descobrem a mudança de horário através de Perkins, que chega correndo pra avisar que audiência foi adiantada e que eles já estão atrasados. Nesse mesmo momento, os dois ficam desesperados e saem correndo como loucos pelos corredores do Ministério.
  • Ah, e antes de entrar para sua audiência Harry encontra com Lúcio Malfoy conversando com Cornélio Fudge no corredor, no livro isso só acontece depois de Harry ser julgado e absolvido – até porque fica incoerente ser antes, uma vez que Fudge preside a audiência, que já está atrasada, portanto deveria estar dentro do tribunal e não no corredor conversando com Lúcio…
  • No filme, Amélia Bones e Dolores Umbridge fazem parte apenas do júri, enquanto no livro as duas fazem parte da Corte Suprema, bem como Percy, que faz o papel de escrivão, mas nem aparece nessa cena (e nem se mencionou nada a respeito de ele ter rompido com os pais etc.).
  • Depois de absolvido, Harry fica chateado com o fato de Dumbledore não ter falado com ele, nem mesmo trocar um olhar. Mas no filme ele fica berrando por Dumbledore quando percebe que este vai embora sem ter falado com ele. ( Isso eu achei legal no filme).
  • Nada é comentado sobre o fato de Rony e Hermione terem virado monitores, muito menos que Rony ganhou uma vassoura como prêmio por ter sido escolhido monitor.
  • Sirius não se transforma na estação como é mostrado no filme, ele permanece o tempo todo como cachorro, e ainda persegue o trem quando ele parte, como se fosse um cão comum. Além disso, no livro, quem mostra aquela foto da antiga Ordem da Fênix é Moody, e lhe mostra cada um dos membros que estão na foto. E no livro, Moody não dá a foto pra Harry, apenas mostra, e por sinal, Harry nem gosta muito de ter visto aquela foto.
  • Harry não vê Voldemort na estação, nem sonha com isso, mas eu achei que essa cena ficou bem legal, porque mostra o quanto Voldemort está “possuindo” Harry, fazendo com que ele o veja em qualquer lugar, que sonhe com ele etc.
  • Os três amigos estão sentados juntos, como sempre, porém, uma vez que Rony e Mione são monitores, eles precisam ir para o 1° vagão. Harry fica com Gina, e no corredor encontra com Neville, e dessa maneira, os três vão parar na cabine de Luna. Mas no filme nada disso acontece. Cho não o vê com os amigos “esquisitos” e nem coberto de pus da planta de Neville como acontece no livro, eles apenas trocam um olhar e um sorriso enquanto compram doces da senhora do carrinho de doces.
  • No filme Luna só vai aparecer no momento em que eles vão embarcar nas carruagens que os levam de Hogsmeade até Hogwarts – por sinal, do outro filme pra esse, mudaram as carruagens, que na verdade agora se parecem muito mais com carroças do que com qualquer outra coisa. Luna já vem dentro da carruagem, que pela 1ª vez Harry pode notar que é puxada por Testrálios, embora seus outros amigos não consigam ver (essa parte está bem parecida). Como a situação toda mudou, quem se encarrega de apresentar Luna aos meninos é Hermione, mas na verdade, no livro, quem conhece a garota e a apresenta aos demais é Gina, que é do mesmo ano que Luna e divide classes com ela.
  • Embora eu ache que a atriz que interpretou a Umbridge, “Imelda Staunton,” não bate com a descrição do livro, que diz que Umbridge é muito baixa, gorda, sem pescoço e com cara de sapo – sempre que eu lia, automaticamente, me vinha a imagem da Roz, de Monstros S.A.; ou a atriz que faz Minha Mulher é o Diabo -, tenho que admitir que ela interpretou bem o personagem.
  • Nos pesadelos com o corredor e as portas do Ministério, Harry nunca vê Voldemort em seus sonhos e nem a bolinha da profecia como aparece no filme. Tanto que na época em que ele estava tendo os pesadelos na casa dos Dursley ele achava que estava fazendo um tipo de metáfora por estar lá perdido, abandonado, sem saber o que acontece por trás das portas.
  • No filme, na primeira aula de Umbridge, ela começa a responder as perguntas dos alunos, e só depois de uma boa dose de bagunça, com todo mundo fazendo perguntas ao mesmo tempo em que ela diz que em suas aulas quem quiser falar precisa levantar a mão. Porém no livro, ela tenta ignorar Hermione por um longo tempo, até que a sala toda começa a reparar que a menina está com a mão estendida no ar, e ai­ então a professora decide perguntar o que Mione quer. E, em momento algum ela responde a uma pergunta que tenha sido feita sem ter levantado a mão antes, e dá um jeito de nunca conceder a palavra a Harry, até que o menino não agüenta mais e acaba explodindo, e por conta disso pega uma detenção.
  • Na hora da detenção, quando começa a escrever com a pena que usa seu próprio sangue, o excelente intérprete de Harry Potter demora um bom tempo pra perceber que a pena está escrevendo com seu sangue e cortando sua mão. Mas no livro, Harry percebe imediatamente, assim que começa a escrever.
  • Enquanto no livro ele esconde por muito tempo o que está acontecendo em suas detenções com Umbridge, até mesmo de Rony e Hermione, no filme a Senhorita Sabe-Tudo descobre logo e fica dizendo que ele deve denunciá-la a Dumbledore.
  • Alguém pode me dizer o que é aquela conversa de Harry com Luna na floresta?! Pela zilhonésima vez, a Floresta Proibida, como o próprio nome já diz, é proibida para os alunos. Como eles reduziram muitíssimo o papel de Hagrid nesse filme, suas aulas nem são mostradas nem nada, portanto a fala da explicação teórica do que é um testrálio, e porquê só algumas pessoas podem vê-los coube a Luna, que está lá na floresta acariciando-os e alimentando-os. Além disso, eles já jogam pra essa cena a última conversa que os dois têm no livro, quando Luna conta que as pessoas costumam pegar suas coisas e esconder, e só devolvem no último dia de aula – na cena ela está descalça e Harry pergunta se ela não está com frio nos pés, e então que ela explica… Como eu já disse que essa cena nem existe no livro, eles juntam a aula de Hagrid sobre os testrálios e a última conversa de Harry e Luna no dia do Jantar de Encerramento.
  • Ah, É verdade, e eu já tinha reparado isso desde o 4º filme, mas esqueci de comentar. As vestes de Hogwarts deixaram de ser vestes de bruxos e passaram a ser vestes de colégio interno.
  • Trelawney é demitida em dois segundos, muito no começo do filme, e no meio da muvuca da demissão da professora, Harry e Cho conversam normalmente, como se nem fossem afins um do outro – mas essa conversa entre os dois não existe no livro. Nessa cena de Trelawney, Dumbledore aparece mais como um velho ranzinza do que como o diretor poderoso, imponente que é. Reclama que os alunos deveriam estar em aula, ao invés de estar ali no pátio assistindo à demissão da professora. Nessa sena Harry também tenta correr atrás do professor, chamando-o, mas é envolto por um mar de outros alunos. E não é mostrado Firenze em momento nenhum. Firenze é o centauro que toma lugar de Trelawney.
  • Dessa vez o rosto de Sirius aparece na lareira da maneira como eu sempre imaginei, com o rosto flutuando no meio de chamas verdes, e não com a cara toscamente formada pelas brasas como foi no quarto filme. Mas o dialogo é bizarro, porque no livro, o personagem de Sirius age como se fosse um pai extremamente zeloso em relação a Harry e é capaz de se explodir para poder ajudá-lo e protegê-lo, portanto, posso garantir que ele nunca diria pra ele, Rony e Hermione uma frase como “agora vocês estão por vocês mesmos”, como ele diz no filme.
  • Mais uma vez, eles deram uma baita enxugada, e por conta disso, vários personagens desaparecem. Neville, já desde o 4° filme vem assumindo as falas que seriam de Dobby, e nesse filme agregaram ao papel de Cho as falas de sua melhor amiga, Marieta (que também foi cortada do filme).
  • Desde a reunião no Cabeça de Javali, eles já saem de lá com o nome Armada de Dumbledore, porém, no livro, esse nome só vai aparecer depois da 1ª aula.
  • Como Neville assumiu Dobby, é ele quem sugere a Sala Precisa, mas quem explica sua função, não poderia ser outra que a Senhorita Perfeita, Hermione Granger. Eca!
  • Praticamente só tem mulher na AD do filme, enquanto que na do livro há um grande número de meninos.
  • Os gêmeos apesar de mais velhos, são sempre descritos como mais baixos que Rony, mas no filme eles são bem maiores do que o irmão.
  • Na cena do primeiro beijo de Harry e Cho, ele expulsa os gêmeos da sala para poder ficar a sós com a menina. Porém, no livro, é Cho quem fica enrolando, manda a amiga ir na frente e fica fazendo hora pra poder ficar sozinha na sala com Harry. Mas tudo bem… Eu pensei que, pela complexidade dramática que abrange o nosso querido Daniel Radcliffe, essa cena ia ser horrenda, mas até que deu pro gasto. O único senão é que a Cho do livro está chorando na hora do beijo e a do filme não. Isso não teria importância se na cena seguinte, quando Harry vai contar do beijo pra Rony e Hermione ele não dissesse que ela estava chorando. Parece detalhe, mas no fim não é…
  • No pesadelo em que Harry se vê como a cobra que ataca o Sr. Weasley, no livro ele está no corredor, em frente à porta do Departamento de Mistérios, mas no filme a cena mostra que ele está dentro do Departamento, mais precisamente na Sala das Profecias, quando a cobra/Harry o ataca.
  • Dialogo mudado de lugar – no filme, é no Natal, quando Harry e os Weasley voltam pra sede da Ordem, que Sirius conta a Harry que aquela era a casa de seus pais e lhe mostra a tapeçaria da Muito Antiga e Nobre Casa dos Black – que é bem diferente do que eu imaginava, mas é bem legal. Mas ele não comenta seu parentesco com Draco Malfoy, nem com Tonks, só fala de Belatriz. Porém, no livro, toda essa conversa sobre a casa e a família Black acontece antes do início do ano letivo, quando Harry é levado da casa dos Dursley para a Sede da Ordem da Fênix.
  • Só pra constar, o Harry do filme é de fato um excelente professor, porque todos conseguiram conjurar o patrono… o_O
  • O número de decretos baixados por Umbridge deve ter sido multiplicado por 10 em relação ao livro, mas na minha opinião ficou bem legal, pois, pra quem não leu, passa uma idéia bem clara do perfil doentio, maní­aco e ditatorial de Umbridge.
  • Como Cho assume o papel de Marieta, É ela quem entrega a AD pra Umbridge – mas ela o faz porque tomou Veritasserum, e não porque quis, como é o caso de Marieta no livro. No filme, assim como Marieta que é filha da coordenadora da Rede de Flu, Cho passa a ser filha de uma funcionária do Ministério. Porém, de qualquer maneira, no filme mostra que Filch já desconfiava deles e passa a vigiar a Sala Precisa – que começa a abrir suas portas para outro corredor e tals, e depois, junto com Filch, toda a Brigada Inquisitorial começa a vigiá-los porque desconfiam da movimentação estranha, e isso durante muito tempo, mas nunca têm sucesso em suas empreitadas. Até que depois de obter a confissão de Cho, Umbridge explode a parede da sala e pega todos no flagra – mas nada disso acontece no livro. Dobby avisa a Harry que descobriram tudo e ele consegue fazer com que todos partam antes da chegada da Brigada, que só consegue pegar Harry e a lista dos participantes da AD.
  • A cena da partida de Dumbledore coloca nas bocas do diretor algumas falas que são ditas pelos retratos dos ex-diretores da escola, que ficam pendurados ali no escritório. E, além disso, é totalmente desnecessária a aparição de Percy trazendo Harry pelos braços nessa cena – uma vez que ele não foi citado, não disseram que ele rompeu com a família, não tem o menor sentido ele aparecer como vilão do nada. E Dumbledore não explode o escritório e nem estupora os aurores para fugir, como no livro, ele simplesmente bate uma palma acima da cabeça e desaparece.
  • Toda a AD É obrigada a cumprir detenção com as Penas-Sangue de Umbridge – isso não acontece no livro, uma vez que ela não consegue provar o que estava acontecendo de fato. Mas outros alunos passam sim por esta mesma punição.
  • E como Cho virou a dedo-duro, no filme, acaba sendo esse o motivo da separação dela e de Harry, quando no livro, ela briga com ele em Hogsmeade, no Dia dos Namorados, porque está com ciúmes de Hermione.
  • No filme, nem se toca no assunto Quadribol (portanto, nem Harry, nem os gêmeos tiveram suas vassouras apreendidas), nem nos N.O.M.s (provas de Níveis Extraordinários de Magia) que são aplicados por examinadores do Ministério, nem nas orientações vocacionais e nem nenhuma outra coisa normal que costuma acontecer em Hogwarts. Rita Skeeter e sua matéria no Pasquim também nem são citadas.
  • Como não tem Quadribol, quando Hagrid os chama para ir até a floresta apresentar Grope, Rony vai junto – mas no livro isso acontece durante a partida final do Campeonato de Quadribol, onde Rony está jogando como goleiro e só Harry e Mione acompanham Hagrid. Quando Hagrid os apresenta, Grope só faz menção de pegar Mione, mas não a pega de fato como mostra o filme. E muito menos a Senhorita Entojo dá uma bronca e o faz obedecer a suas ordens, afirmando a todos que ele só precisa de um pouco de pulso firme.
  • Nas aulas de Oclumência, Harry consegue bloquear Snape totalmente e ter acesso às lembranças dele – mas no livro, Harry é péssimo nas aulas de Oclumência, e apenas uma vez penetra, muito rapidamente, a mente de Snape. Porém, as lembranças que ele enxerga na mente do professor, no filme, são as mesmas lembranças que Harry vê no livro porque fuça na penseira onde Snape estava guardando alguns pensamentos para justamente evitar que Harry os visse.
  • As coisas aprontadas por Fred e Jorge foram mescladas em uma só. Desaparece o Pântano Permanente e fica só a dos fogos – que chama muito mais atenção aos olhos para ser colocada no filme. Eles entram pela sala de Umbridge no meio dos exames e fazem a maior bagunça, o que acaba interrompendo a prova. E como não tem Pirraça e as vassouras não foram confiscadas, os gêmeos só se mandaram deixando um imenso W feito com os fogos a brilhar no céu.
  • Enquanto assiste à exibição dos fogos dos gêmeos, Harry cai no chão ao ter a visão de que Voldemort pegou Sirius. No livro essa visão acontece depois de dormir no meio do N.O.M. de História da Magia.
  • Aproveitando a bagunça em que a escola se encontra, Harry decide ir até a sala de Umbridge pra verificar se Sirius está na Sede da Ordem ou não. Mas como ele sabe que a lareira dela não está sendo vigiada, sendo que ela não falou nada?! No livro Harry descobre que só a lareira de Umbridge não é vigiada logo depois da partida de Dumbledore, quando ela tenta interrogá-lo com Veritasserum (que ele não bebe), e nesse mesmo momento, os gêmeos que decidem instaurar o caos, soltam os fogos por toda a escola. Depois desse episódio memorável, Harry pede ajuda aos gêmeos para tentar falar com o padrinho (depois da visão que teve na Penseira de Snape, com Sirius e seu pai maltratando o professor, quando os três ainda eram adolescentes), e então os gêmeos dizem que conseguem distrair Umbridge por aproximadamente 20 minutos. Para isso eles criam um pântano permanente no corredor da escola, mas Umbridge descobre e todo o fuzuê está armado, os meninos convocam suas vassouras (que estavam apreendidas na sala dela) e partem de Hogwarts voando e fazendo propaganda da loja Gemialidades Weasley, no Beco Diagonal – porém, nesse meio tempo, Harry consegue falar com o padrinho e esclarecer as coisas. Essas passagens todas não existem no filme.
  • Voltando para o que acontece no filme, Harry vai até a sala de Umbridge com Rony e Hermione – no livro, só Hermione está junto com ele. No filme, nem chega a conseguir falar no Largo Grimmauld, enquanto no livro ele faz contato com a casa, e conversa com Monstro que diz que Sirius não está e que nunca mais vai voltar do Departamento de Mistérios – porém, no filme, como o Monstro aparece só pra constar…
  • Uma vez que só Rony, Harry e Hermione estão na sala de Umbridge tentando usar a lareira, não há o menor sentido em, do nada, a Brigada Inquisitorial trazer presos Neville, Luna e Gina – uma vez que no filme, eles não têm nada a ver com a armação.
  • Ao irem pra floresta com Umbridge para usá-la como isca para os centauros, Harry e Hermione, no livro, embora não ofendam os centauros, são pegos também, porque na hora de explicar o que estavam fazendo ali, Hermione troca os pés pelas mãos, e diz que só estão ali porque sabiam que os centauros poderiam dar um jeito em Umbridge. Ao ouvir isso, os centauros se sentem profundamente ofendidos, pois acreditam estarem sendo tratados como serviçais e decidem que vão fazer os dois de prisioneiros, porém, estes são salvos por Grope que está a procura de Hagrid, e reconhece Hermione e a ajuda, sendo severamente atacado pelos centauros depois disso. Já no filme, eles só se ofendem com Umbridge, porque a Senhorita Perfeição só fica dizendo palavras bondosas aos centauros e defendendo-os das ofensas de Umbridge. E quem pega a diretora da escola, no filme, é Grope, que afugenta os centauros e deixa os meninos irem.
  • No livro, Rony, Neville, Gina e Luna vão até a floresta depois de conseguirem se livrar da brigada após uma série de azarações,mas no filme, Harry e Hermione estão voltando pra escola e encontram com os quatro no caminho, que dizem que se livraram da brigada com vomitilhas de Fred e Jorge.
  • Eles não mostram como foi que Rony, Hermione, Gina e Neville conseguem subir nos testrálios, uma vez que não consegue vê-los, e nem como foi que os testrálios surgiram como idéia de transporte. No livro, quando os outros chegam à floresta, Harry e Hermione estão com as vestes ensopadas com o sangue de Grope, e isso atrai os testrálios que gostam de comer carne crua e farejam o cheiro de sangue. Quem primeiro os vê e diz que podem ir ao Ministério montado neles é Luna, até que depois de muita hesitação é decidido que os seis que ali estão irão ao Ministério e que vão montados nos testrálios. Depois de Harry, Luna e Neville já estarem montados, prontos para voar, Harry percebe que os outros três não conseguem montar os bichos porque não conseguem vê-los, quando o assunto é prontamente resolvido por Luna, que desmonta o seu testrálio e ajuda os outros três se acomodarem no “nada”.
  • A batalha do Ministério está toda diferente. O departamento de Mistérios tem várias salas interligadas. No livro, não tem a sala de entrada que roda, nem nada, só a Sala das Profecias. E assim que os meninos dizem a Harry sobre algo com o nome dele, ele pega, e no momento em que toca nela, a profecia fala – tosco, porque ninguém pode ouvir a profecia, a não ser que ela se parta – senão nem tinha nexo os Comensais tomarem tanto cuidado para a profecia não explodir, pois já a teriam escutado e poderiam muito bem contar a Voldemort. Além disso, em toda a trama, só quem sabe a profecia inteira é Dumbledore e Harry (que a ouve na penseira), uma vez que Trelawney, quando a fez, estava em transe e não lembra de nada.
  • Muita gente falou que a morte do Sirius tá melhor no filme do que no livro. Mas isso não é verdade, uma vez que elas estão exatamente iguais – porém, a do filme é mais óbvia. Podem conferir, na página 652 do livro – depois de debochar da prima, Sirius recebe um jato verde, direto no peito e cai vagarosamente pra trás, até sumir por dentro do arco com o véu. Ele não morreu porque atravessou o véu, como muitos pensaram, e sim porque recebeu a Maldição da Morte (pois pra quem não lembra, o jato verde é a caracterí­stica visual da Avada Kedavra). J.K. foi mais sutil, para gerar suspense e conspirações malucas em seus leitores, mas deixou a morte de Sirius clara para aqueles que prestaram atenção. Já no filme, como tudo acontece muito rápido, e a pessoa não pode ficar voltando para rever a cena, como poderia fazer no livro e reler a página inúmeras vezes, eles optaram por deixar bem claro pra todos que ele tomou mesmo uma Avada Kedavra no peito.
  • E pra arrematar, já no final, quando Voldemort possui o corpo de Harry, tentando fazer com que Dumbledore mate o garoto, ele não resiste muito tempo na possessão, mas ninguém sabe ao certo o porquê. Só depois é que Dumbledore explica que o garoto tem um coração repleto de amor, e que isso fez com que Voldemort não suportasse ficar muito tempo em seu corpo. Mas no filme, mostra Harry tendo visitado seu passado, em cenas com os amigos, os pais, o padrinho, Cho etc., ao mesmo tempo que mescla com cenas de horror e tortura, que fazem parte das lembranças de Voldemort. E Harry até conversa com Voldemort dentro de si, dá liçãozinha de moral e faz uso da fala de Dumbledore no livro, explicando o amor em seu coração (isso apesar de bem diferente do livro, é bem feito e mais legal). Ah, e a Belatriz não desaparece na lareira pela Rede de Flu, como mostra o filme. No livro ela desaparata, junto com Voldemort, quando os aurores do Ministério começam a chegar. A cena inteira da luta entre Voldemort e Dumbledore foi alterada, não tendo a participação das estátuas (que seriam enfeitiçadas por Alvus) e nem de Fawkes que engoliria um Avada Quedrava para salvar Dumbledore.

Existe, após toda a ação, uma cena essencial ao entendimento de toda a trama do filme que foi resumida em uma única fala de Harry com Alvus. Harry quebrando o escritório e recebendo as desculpas de Alvus, que chora mostrando fraqueza e humanidade; toda a explicação da profecia, a quem foi feita, o que contempla e tudo mais não existe no filme e é um capítulo inteiro no livro.

h1

Posters de Harry Potter e A Ordem de Fenix

18 maio, 2007

 

 

 

 

 

 

h1

HP7 – Análise das Capas

4 abril, 2007

Capa Infantil Britânica

 

Ron, Harry e HermioneRon, Harry e Hermione Esta capa foi um trabalho de ilustração de Jason Crockford, que já tinha preparado as capas de Ordem da Fênix e Enigma do Príncipe. Sem dúvida, é o desenho mais rico e caprichado para as capas do Reino Unido até agora. Pela primeira vez, as cores principais preta e branca são usadas, junto com o roxo e laranja.

 

Sinopse:

 

“Harry está esperando na Rua dos Alfeneiros. A Ordem da Fênix está chegando para levá-lo embora com segurança sem que os seguidores de Voldemort saibam – se conseguirem. Mas o quê Harry fará depois? Como ele poderá completar a momentânea e aparentemente impossível tarefa que o professor Dumbledore deixou para ele?”

Trio:

 

Ron, Harry e Hermione Pela primeira vez nas edições britânicas, Harry, Rony e Hermione aparecem juntos, o que mostra sua importância não só para o enredo do sétimo livro mas também como companheiros e melhores amigos de Harry. É possível observar que eles estão vestidos formalmente (com exceção de Harry) o que pode indicar um evento importante. Formatura, talvez? Fisicamente, Harry e Hermione apresentam feridas em seus braços. Rony e Hermione demonstram terror ou susto (com uma possível queda) enquanto Harry está levemente mais destemido e focado em algo que deve fazer. Jason Cockcroft, ilustrador das capas infantis da saga desde o quinto livro, procurou desenhar os personagens com uma aparência mais adulta acompanhando o crescimento dos mesmos através dos livros.

 

Objetos

 

Tesouro? Em volta dos personagens podemos conferir um grande tesouro jamais citado na série. Poderia ser o cofre de alguém em Gringotes (Tom? Mundungo? R.A.B.?) ou quem sabe os pertences da colecionadora Hepzibah Smith. O tesouro parece composto de pratos, uma armadura com imagens de dragão, moedas de ouro, pedras preciosas e vasos. Uma espada, talvez a de Godric Gryffindor, também aparece na ilustração. No verso do livro também é mostrada uma bola de cristal com a figura de uma serpente em seu interior (Nagini, talvez, ou um Horcrux).

 

Elfo Doméstico

 

Dobby? Kreacher? Se observarmos bem, podemos localizar um elfo segurando uma espada atrás de Harry. Espada, como dissemos antes, que talvez tenha pertencido a Godric Gryffindor (Harry Potter e a Câmara Secreta). Pode ser Dobby, que estaria ajudando Harry. Já levando para um lado mais pessimista, talvez possa ser até Monstro. Pela maneira que ele segura Harry e pelas suas rugas de expressão parece até que ele está ali para tentar assassiná-lo.

 

Contracapa

 

Hogwarts está congelando?! Podemos ver Hogwarts, à direita, toda acessa em noite de lua cheia. A imagem pode ser dividida em dois extremos, um positivo e outro negativo. No lado oposto, vemos uma paisagem esfumaçada, sombria com árvores mortas.Em uma análise hipotética, acreditamos que essa névoa poderia ser uma espécie de feitiço lançado por Voldemort contra Hogwarts já que o castelo parece estar congelando ou pior, um exército formado de Dementadores sob o comando do Lorde das Trevas em ataque à escola.

 

Símbolo

 

Hogwarts está congelando?!Uma das coisas mais intrigantes da capa. Parece que o triângulo foi cravado em mármore. Deve representar algo muito importante.

 

Cervo

 

Patrono de Harry Percebam que a ilustração do cervo é esbranquiçada, o que representaria o patrono de Harry. Se fosse apenas James como animago, apareceria em cores normais. Ele está olhando para cima, com uma expressão otimista.

 

Capa Infantil Americana

 

Ron, Harry e HermioneRon, Harry e Hermione A ilustração da capa americana (também utilizada na edição brasileira) é de Mary GrandPré, que desenhou todas as capas de Harry Potter nos EUA. O trabalho, apesar de simples, é muito bonito. Mary consegue transpor sentimento dramático e épico em tons laranjas e vermelhos. Harry está sozinho novamente na capa e apresenta o braço esticado, como na capa da “Pedra Filosofal” (só que nela, ele tentava apanhar o pomo). As letras que tanto conhecemos formando “Harry Potter” aparecem em vermelho, desta vez. Certamente, a capa apresenta grande significação (parece que será uma das cenas mais importantes, se não a mais importante) e sentimento.

 

Harry

 

HarryAparece com uma expressão compenetrada e com o braço levantado aos céus. Parece estar preparado para fazer algo muito poderoso, e o interessante é que ele está sem varinha para isso.É possível observar também que ele está carregando algo pendurado em seu pescoço. Provavelmente, é o medalhão que pertencia à Slytherin, um dos Horcruxes que Harry precisa coletar e destruir no livro.*Obs: Por curiosidade, na capa americana do primeiro livro, Harry também apresenta o braço levantado (para pegar o pomo).

 

Voldemort

 

Hogwarts está congelando?!Também sem varinha como Harry, aparece pela primeira vez de corpo inteiro em uma capa da série. Seu movimento de mão é similar ao de Harry e parece que ele também deseja o mesmo que seu oponente.

 

Fundo

 

Hogwarts está congelando?!Desta vez, Harry aparece em um cenário aparentemente estranho para nós. É uma espécie de arena que, talvez seja em Hogwarts ou ainda, quem sabe, dentro do véu. Se fosse neste último, poderia ter explicação o fato de Harry estar fazendo magia sem varinhas. O lugar parece estar um pouco destruído, já que podemos ver pedaços de madeira e pedras. Pode já ter estado assim antes de Harry chegar, ou talvez fique assim por causa da possível batalha que ele esta travando ali. Se observamos direito, é possivel vermos vultos de pessoas no fundo. Se for realmente no véu, poderia representar pessoas mortas. As cores indicam que está proximo do pôr-do-sol.

 

Cortinas

 

Um jeito interessante de terminar a série, pelo o que a gente acha. A primeira ilustração de Mary GrandPré para a série também apresenta as cortinas, então é possível que ela tenha as desenhado novamente para “fechar” sua participação em Harry Potter.

 

Capa Britância Adulta

 

Ron, Harry e HermioneRon, Harry e HermioneA foto da capa adulta do Reino Unido foi feita Michael Wildsmith, fotógrafo que também criou as capas anteriores . Como sempre, as edições adultas não apresentam muitos detalhes, geralmente apenas um objeto ou um cenário que remete à algo de importante no livro. Desta vez não foi diferente. Podemos observar que o objeto que aparece nessa edição parece um medalhão, o que faz sentido na história que já sabemos até aqui. Seria o Horcrux que Harry estava procurando com Dumbledore no fim do sexto livro, mas que tivera sido substituído por um falso. Este medalhão, que pertencia a Slytherin será buscado por Harry durante o livro para ser destruído. E vejam que na edição americana Harry está com o que parece ser o próprio medalhão pendurado no pescoço.

 

Sinopse:

 

“Harry foi incumbido de uma obscura, perigosa e aparentemente impossível tarefa: àquela de localizar e destruir as Hocruxes de Voldemort que sobraram. Nunca Harry se sentiu tão sozinho, ou enfrentou um futuro tão cheio de sombras. Mas Harry terá que encontrar de alguma maneira dentro de si mesmo a força para completar a tarefa que lhe foi delegada. Ele deve deixar o conforto, segurança e companhia d’A Toca e seguir sem medo ou hesitação o inexorável caminho colocado para ele…

Nesta última, sétima parte da série Harry Potter, J.K. Rowling revela com incrível charme as respostas para muitas questões que foram tão ansiosamente aguardadas. A maravilhosa, ricamente conduzida história, que afunda, tem reviravoltas e atinge um passo de tirar o fôlego, confirma a autora como uma mestra na arte de contar histórias, cujos livros serão lidos, relidos e lidos novamente.”

Texto retirado, virgula por virgula do site

Ótima essa análise! Até por isso que resolvi divulga-la!

PS: Não têm Spolers Trotta! Não mais do que as próprias capas já dão! 😀

h1

Harry Potter and the Deathly Hallows!

29 março, 2007

Finalmente, para a alegria de todos os fãs, podemos ver as capas das edições Britânica (Bloomsbury) e Americana (Scholastic), do livro Harry Potter and the Deathly Hallows!
A capa americana, até agora a mesma usada no Brasil em todos os livros anteriores, é de autoria de Mary GrandPré. A ilustração mostra Harry num duelo contra Voldemort. A imagem continua na contra-capa, com Voldemort observando Harry.

Já a edição britânica, confeccionada pela Editora Bloomsbury, terá duas versões. A versão infantil é de autoria de Jason Cockcroft, responsável também pelas capas de A Ordem da Fênix e O Enigma do Príncipe. A imagem mostra Harry, Ron e Hermione no que também aparenta ser uma batalha.

A versão adulta é ilustrada por uma foto de Michael Wildsmith, responsável pelas imagens de todas as outras edições adultas da série. A capa mostra um medalhão, que deve ser a peça fundamental para a solução da guerra contra Voldemort.
Temos também o texto da capa britânica dizendo que Harry deve deixar a segurança da casa dos Weasleys e buscar as últimas horcruxes, acrescentando que ele estará solitário.

A edição em inglês será lançada no dia 21 de julho com 12 milhões de cópias disponíveis, tendo 652 páginas nos EUA e 784 páginas na Inglaterra. A série já vendeu 325 milhões de unidades em todo o mundo e foi traduzida em 64 idiomas.

No Brasil o livro deve ter provavelmente o título de “Harry Potter e as Insígnias Mortais”. Ainda não foi divulgada a data oficial do lançamento do livro traduzido.

A solução é aguardar… hehehe!!!

Eu estou super ansioso com isso!
Quase comprei o livro pela Amazon… Em inglês mesmo!
A que não deixou! To muito assim! Este é o ultimo livro, teoricamente a história vai chegar a um fim.
Teoricamente por que Harry Potter já passou todos os marcos de histórias já criadas.
É hoje o tema de mais Fan’s Fic’s (histórias com personagem originais feitas por Fan’s).
Passou StarWars e em muito nos números. É muito provável que vire após o final da série de livros, desenhos ou mesmo tenha continuações! Apesar de J.K. dizer que não pretende continuar, ela mesma já deixou a marca ser usada para escrever Fan’s Fic’s. E isso para os malucos como eu é um bom sinal. Afinal é uma grande chance de ver mais coisas saindo das lareiras ou chegando por corujas. 8) 😈