Archive for the ‘Videos’ Category

h1

Gabriel o Pensador – Tas a Ver

6 janeiro, 2010


Gabriel Pensador
Composição: Gabriel O Pensador

Tás a ver o que eu estou a ver?
Tás a ver estás a perceber?
Tás a ouvir o que eu estou a dizer?
Tás a ouvir estás a perceber?

Eu tenho visto tanta coisa nesse meu caminho
Nessa nossa trilha que eu não ando sozinho
Tenho visto tanta coisa tanta cena
Mais empaquitante do que qualquer filme de cinema
E se milhares de filmes não traduzem nem reproduzem
A amplitude do que eu tenho visto
Não vou mentir pra mim mesmo acreditando
Que uma música é capaz de expressar tudo isso
Não vou mentir pra mim mesmo acreditando
Mas eu preciso acreditar na comunicação
Mas eu preciso acreditar na…
Não há melhor antídoto pra solidão
E é por isso que eu não fico satisfeito
Em sentir o que eu sinto
Se o que eu sinto fica só no meu peito
Por mas que eu seja egoísta
Aprendi a dividir as emoções e os seus efeitos
Sei que o mundo é um novelo uma só corrente
Posso vê-lo por seus belos elos transparentes
Mudam cores e valores mas tá tudo junto
Por mas que eu saiba eu ainda pergunto

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como agente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas

Tás a ver a linha do horizonte?
A levitar, a evitar que o céu se desmonte
Foi seguindo essa linha que notei que o mar
Na verdade é uma ponte
Atravessei e fui a outros litorais
E no começo eu reparei nas diferenças
Mas com o tempo eu percebi
E cada vez percebo mais
Como as vidas são iguais
Muito mais do que se pensa
Mudam as caras
Mas todas podem ter as mesmas expressões
Mudam as línguas mas todas têm
Suas palavras carinhosas e os seus calões
As orações e os deuses também variam
Mas o alívio que eles trazem vem do mesmo lugar
Mudam os olhos e tudo que eles olham
Mas quando molham todos olham com o mesmo olhar
Seja onde for uma lágrima de dor
Tem apenas um sabor e uma única aparência
A palavra saudade só existe em português
Mas nunca faltam nomes se o assunto é ausência
A solidão apavora mas a nova amizade encoraja
E é por isso que agente viaja
Procurando um reencontro uma descoberta
Que compense a nossa mas recente despedida
Nosso peito muitas às vezes aperta
Nossa rota é incerta
Mas o que não incerto na vida?

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como agente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas

A vida é feita de pequenos nadas
Que agente saboreia, mas não dá valor
Um pensamento, uma palavra, uma risada
Uma noite enluarada ou um sol a se pôr
Um bom dia, um boa tarde, um por favor
Simpatia é quase amor
Uma luz acendendo, uma barriga crescendo
Uma criança nascendo, obrigado senhor
Seja lá quem for o senhor
Seja lá quem for a senhora
A quem quiser me ouvir e a mim mesmo
Preciso dizer tudo que eu estou dizendo agora
Preciso acreditar na comunicação
Não há melhor antídoto pra solidão
E é por isso que eu não fico satisfeito em sentir o que eu sinto
Se o que sinto fica só no meu peito
Por mais que eu seja egoísta
Aprendi a dividi minhas derrotas e minhas conquistas
Nada disso me pertence
É tudo temporário no tapete voador do calendário
Já que temos forças pra somar e dividir
Enquanto estivermos aqui
Se me ouvires cantando, canta comigo
Se me vires chorando, sorri

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como agente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas

Anúncios
h1

SaMaro Work Place

27 março, 2008

Novo itinerário de moto faz necessário um novo MotoCast.
Ainda falando de Caixa e do novo local de trabalho.
Essas são as Imagens do Panamericano, logo na estrada do condomínio.

dsc00027.jpg

dsc00025.jpg

dsc00026.jpg

E um pequeno vídeo para mostrar a altura das Baias e o tamanho da sala.

Ouça então o novo episódio do MotoCast.
Dê suas Opiniões, faça seus comentários e no final poderá ouvir a um Bônus.

bug_bodas.gif

h1

Por que a Aliança deve ser usada no 4º dedo?

25 março, 2008
Existe uma bonita e convincente explicação dada pelos Monges Chineses.
O Dedão representa seus pais.
O segundo dedo ou o Indicador representa Seus Irmão e Irmãs.
O dedo do Meio representa o seu Eu.
O Quarto dedo ou o anular representa seu Marido ou Esposa.
E o quinto dedo ou o minguinho representa seus filhos.Primeiramente…
Abra suas mão viradas uma para a outra.
Coloque os dedos do meio encontrados de costas um para o outro.

Agora coloque os dedos restantes com as pontas dos dedos unidas.
Pronto, agora tente separar seus Dedões que representam seus pais.
Eles irão abrir por que seus pais não estão destinados a viver com você para sempre.
Eles vão te deixar cedo ou tarde.

Junte novamente os Dedões e tente separar agora os indicadores que representam seus irmãos e/ou Irmãs.
Eles também se abrem porque eles terão suas próprias familias.
Sem você.

Junte os indicadores.
E agora separe seus dedos minguinhos, que representam seus filhos.
Eles vão abrir também.
Porque crianças crescem, casam e criam suas próprias familias um dia.

Finalmente, junte os minguinhos e tente separar os anulares.
Que representam seu parceiro.

Você fica surpreso de ver que eles não podem ser separados.
Por que Marido e Esposa são destinados a viver juntos suas vidas inteiras.

Recebi por e-mail e não sei detalhes autorais e afins.
Se alguém souber por favor me passe!!!
h1

Melo do Congresso

24 março, 2008
Honestidade foi se embora
E a vergonha no Congresso já não mora
Esperança no Brasil, só piora
Porque sei que a falsidade lá vigora

O deputado já começa aproveitando
Mete a mão, vai desviando
E não para de roubar
E o dinheiro do hospital
Vai pra boiada,
Pra amante e o novo carro
Que o Juninho vai comprar

Moralidade foi se embora
E a maldade no Congresso é lá que mora
E é por isso que o nosso só se explora
Porque sei que a pilantragem lá vigora

O deputado fala errado
Ri à toa, se fingindo de inocente
E começa a enrolar
E o coitado que votou nessa pessoa
Lembra o voto, que vergonha
Quatro anos pra aturar

Seriedade, foi-se embora
O picareta virou dono, e nos devora
E o povo inteiro já percebe, a ilusão
De que a política em Brasília
É enganação

Daqui a pouco é eleição e lá vêm eles,
Com sorriso, abraço e beijo
Pro meu voto conquistar
E eu mando à merda, não sou burro nem palerma
Ninguém mais me passa a perna
Eu vou botar pra quebrar

Renovação vamos embora
Que a limpeza do Congresso, não demora
Não sou trouxa, to cansado
Vou à forra
Porque sei que a falsidade não vigora

Criação: Luciano Pires
Melodia: Felicidade, de Lupiscinio Rodrigues
Versão: Junior Poli, Labi Mendonça e Luciano Pires
Arranjos e interpretação: Sérgio Sá
Bonecos e manipulação: Cia Truks
Vídeo: Casa de Vídeo
h1

Tarada

16 maio, 2007

Tarada por pinto!

Fala sério isso!

Essa tara eu nunca ouvi falar!
Mas me lembrou o filme Pork’s!
Onde um GoGoBoy vêm com o pinto num cachorro quente para a diretora da escola!
HEHEHEHEHEHHEHE

h1

O que sabemos sobre nós?

29 março, 2007

Sexta-feira, Setembro 22, 2006

What the Bleep Do We Know?

No começo só havia o vazio…
Transbordando com infinitas possibilidades…
Das quais você é uma…

Como nós podemos continuar a ver o mundo como real se nosso âmago que está determinado a ser real é intangível?

Quem somos?
De onde viemos?
O que devemos fazer?
E para onde vamos?

por que estamos aqui?
Essa é a pergunta elementar!

O que é realidade?
O que eu achava irreal hohe é para mim mais real do que coisas que achei reais, que agora acho que são irreais.

Todas as épocas e gerações têm suas próprias suposições.
O mundo é plano…
O mundo é redondo, etc…

Existem centenas de suposições que acreditamos ser verdades mas que podem ou não ser verdadeiras.

Claro que históricamente, na maioria dos casos não eram verdadeiras.
Se tomarmos a história como guia, podemos presumir que muitas coisas em que acreditamos sobre o mundo podem ser falsas.
Estamos presos à certos preceitos sem saber disso.
É um paradoxo.

É hora de ficar esperto.
Por que continuamos recriando a mesma realidade?
Por que continuamos tendo os mesmos relacionamentos?
Por que continuamos tendo os mesmos empregos repetidamente?
Nesse mar infinito de possibilidades que existem à nossa volta, por que continuamos recriando as mesmas realidades?
Não é incrível existirem opções e potênciais que desconhecemos?
É possível estarmos tão condicionados à nossa rotina, tão condicionados à forma como criam nossas vidas.
Que compramos a ideia de que não temos controle algum?
Fomos condicionados a crer que o mundo externo é mais real que o interno.
Na ciência moderna é justamente o contrário.
Ela diz que o que acontee dentro de nós é que vai criar o que acontece fora.
Então os cientistas se perguntam:
Quem vê os objetos, o cérebro ou os olhos?

Bem vindo à grande quadra de possibilidades intermináveis.
( Um menino joga a bola e que passa pelas mãos e bate no estomago ).
– Horrivel. Têm que acertar pelo menos uma! Diz o menino.
– Isso doeu! Responde a mulher.
– A bola não tocou em você.
– Tá bom.
– E não é solida. A maior arte dessa bola está vazia

De uma olhada em um atomo por exemplo.
Pensamos que é uma especie de bola sólida.
Mas na verdade.. É esse pontinho pequeno com matéria centro cercado por uma nuvem de elétrons que aparecem e desaparecem.
Mas acontece que tal descrição também não está correta. Até o núcleo, que pensavamos ser tão denso, aparece e desaparece assim como os elétrons.
A coisa mais sólida que pode existir nssa matéria desprovida de substância é mais um pensamento, um bit de informação concentrada.

– Como eu disse, você nunca tocou em nada. Diz o menino.

Os elétrons criam uma carga que afasta os outros eletrons antes do toque.

– Então.. Ninquem toca em nada… Continua o menino com expressão de simplicidade.

Essa exposição vem do Japão.
E o autor é o Sr. Missuro Imoto. Ele se interessou na estrutura molecular da água e o que a afeta.
Sendo a água o mais receptivo dos quatro elementos, O Sr. Imoto pensou que ela poderia responder a eventos não físicos.
Ele então realizou vários estudos onde aplicou estimulos mentais e os fotografou com um microscópio de anti-matéria.
A primeira foto é da água da represa Fujiwara (A imagem de um floco de neve distorcido) .
E essa foto é da mesma água após sido benzida por um monge zen-budista (A imagem de um floco de neve perfeito).
Nestas próximas séries de fotos, p Sr. Imoto imprimiu palavras e as colocou em garrafas de água destilada, deixando-as passar a noite assim.
Essa primeira foto mostra a água destilada em sua essência (A imagem de um tetraedo simples).
A foto a seguir como podem ver, é diferente. É o “Chi do amor” (A imagem de um floco de neve perfeito, mas numa forma diferente).
E aqui vocês podem ver a foto da palavra “Obrigado”. (A imagem de um floco de neve perfeito, mas numa outra forma diferente).

A ciência de como isto afeta as moléculas é desconhecida.
Menos para as moléculas da água, claro.
E é fascinante se pensarmos que 90% do nosso corpo é composto de água.

Faz a gente pensar, não é?
Se pensamentos fazem isso com a água, imagine o que podem fazer conosco.

Se você acreditar com tudo seu ser que pode andar sobre a água, isso acontecerá.

No nível subnuclear mais profundo da nossa realidade, você e eu somos um só.

Como um homem ou uma mulher podem pecar contra algo tão supremo?
Como pode uma pequena unidade de carbono, na terra, na via láctea, trair Deus todo poderoso?
É impossivel.
O tamanho da arrogância é o tamanho do controle daqueles que criam a imagem de Deus de forma errada.
É hora de ficar esperto.

Hem? Não entendeu?

Aqui está o video de onde tirei este texto…
Só pra fritar um pouco as mentes ociosas.

Ps: este texto eu tirei na mão mesmo!
Vendo pedaço por pedaço e transcrevendo o texto(Legenda).

h1

Al Pacino – Scent of a Woman

26 março, 2007

Quinta-feira, Agosto 10, 2006

Al Pacino – Scent of a Woman

“Perfume de mulher”
Meio que copiando o Jacaré Banguela
Esse filme é um dos que moldou meu caráter!